Senadores lamentam 200 mil mortes por covid e comemoram CoronaVac

Senadores se manifestaram por meio das redes sociais depois que o Brasil atingiu a marca de 200 mil mortes em decorrência do coronavírus, na quinta-feira (7). Os registros também vieram acompanhados de grande expectativa de que o país inicie o plano de vacinação contra a covid-19 o quanto antes, já que a vacina CoronaVac, desenvolvida pelo Instituto Butantan em parceria com a farmacêutica chinesa Sinovac, teve 78% de eficácia em testes. O ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, informou que o governo assinou contrato para aquisição de até 100 milhões de doses da CoronaVac.

O presidente do Senado, Davi Alcolumbre, definiu o cenário como “uma realidade terrivelmente triste e assustadora”, mas demonstrou confiança na vacinação da população após o anúncio do Instituto Butantan de que a vacina CoronaVac será registrada na Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).  

“Hoje [quinta-feira], também, tivemos a comprovação da eficácia da vacina contra a covid-19 e o anúncio do ministro da Saúde a respeito da assinatura de contrato para a aquisição de 100 milhões de doses da vacina. Dormiremos tristes, porém, agora, mais esperançosos, porque hoje, no mundo e especialmente no Brasil, o que todos queremos é uma vacina, venha de onde vier, para estancar o medo e possibilitar a retomada da vida sem pandemia, já que o vírus ameaça a todos nós, indiscriminadamente”, afirmou.

Para o senador Mecias de Jesus (Republicanos-RR), as mais de 200 mil mortes representam, além de números, “dores irreparáveis, projetos interrompidos e vidas ceifadas”. Ele defendeu o fim das disputas políticas e ideológicas para viabilizar a pronta imunização dos brasileiros.

“A esperança de tempos melhores surge com a comprovação da eficácia da vacina. Por isso, precisamos deixar de lado a politização e tratar da viabilização e disponibilização urgente da vacina para todos os brasileiros. É um direito do povo! Obrigação do Estado! Contamos com os esforços do presidente da República para viabilizar prontamente essa questão”, pediu.

A mesma cobrança fez o senador Jean Paul Prates (PT-RN): “Bolsonaro deveria agilizar o processo de vacinação no país e salvar vidas. A vacina é a única forma de garantir o retorno das pessoas e da economia à normalidade”.

O senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP) descreveu a atuação do governo federal como omissa e celebrou o avanço da ciência com os resultados obtidos pelo Instituto Butantan.

“A comprovação da eficácia da CoronaVac contra o coronavírus é histórica! É uma vitória da nossa ciência, do nosso SUS, fruto dos esforços de muitos trabalhadores envolvidos e empenhados em salvar vidas! Parabéns ao Instituto Butantan”, afirmou.  

Para o senador Marcos do Val (Podemos-ES), o dia de ontem foi “histórico”, já que agora o Instituto Butantan pode pedir autorização de uso emergencial à Anvisa e dar seguimento ao processo para vacinação.

Na avaliação do senador Eduardo Braga (MDB-AM), “a vacina é nossa grande esperança para frear o contágio e salvar vidas”.

O avanço do processo para o registro do imunizante também foi comemorado pelo ex-ministro da Saúde e senador José Serra (PSDB-SP).

“Muito feliz com o anúncio do Instituto Butantan de que a CoronaVac tem eficácia de 78% contra a covid-19, chegando a 100% em casos graves. Parabenizo a todos os profissionais e voluntários envolvidos!”.

Apesar de registrar os dados com a CoronaVac, o senador Angelo Coronel (PSD-BA) alertou para a necessidade de continuar a luta contra vírus, mesmo com a expectativa de início de vacinação.

“Minha solidariedade a familiares e amigos das vítimas. A comprovação da eficácia da CoronaVac traz esperança, mas a guerra contra o vírus ainda não acabou”, disse.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: