fbpx

Sem Simone Biles, Rebeca vira favorita, mas disputa está aberta nas Olimpíadas

A saída de Simone Biles da final do individual geral deixou a disputa aberta nas Olimpíadas de Tóquio. Pela primeira vez desde 2013, não há uma aposta garantida para o título de ginasta mais completa do mundo. A brasileira Rebeca Andrade, que só ficou atrás da estrela americana na classificatória, desponta sim como a favorita, mas há muitas candidatas fortes no páreo. Antes o show de Simone era o grande atrativo, agora a briga aberta pelo ouro é o novo tempero para essa final da quinta-feira, às 7h50 (de Brasília).

Se tem uma coisa que a desistência de Simone Biles mostrou é que nenhuma medalha é construída sem uma cabeça forte. Não há como prever qual vai ser o impacto da ausência de Simone no psicológico de cada ginasta. Seria uma oportunidade única de ouro? Ou uma pressão a mais com maiores expectativas? Em uma decisão com concorrentes de nível técnico tão parecidos, o fator mental vai ser decisivo.

Rebeca Andrade na trave  — Foto: Ricardo Bufolin/CBG

Rebeca Andrade (BRA) – a maior candidata

Rebeca sempre foi apontada como uma potencial medalhista do individual geral em Mundiais e mesmo nos Jogos do Rio 2016, quando foi à final com a terceira melhor nota, mas falhou na trave durante a decisão e acabou na 11ª posição. As lesões impediram que ela disputasse o individual geral em uma grande competição até o Pan do Rio, em junho, quando selou sua vaga em Tóquio.https://tpc.googlesyndication.com/safeframe/1-0-38/html/container.html

A consistência de Rebeca nas competições deste ano é o que a coloca como a maior candidata ao ouro. A diferença entre Simone e Rebeca nas classificatórias foi muito pequena, apenas 0,331 pontos. Rebeca somou 57,731 pontos e ainda tem espaço para crescer, já que perdeu algumas ligações de movimentos nas barras assimétricas. Se conseguir executar bem suas séries, dificilmente fica sem medalha, mas não necessariamente virá um ouro. Há adversárias com grande potencial.

Rebeca Andrade se classifica em segundo lugar para o individual geral

Sunisa Lee (EUA) – a principal adversária

Os Estados Unidos continuam tendo uma forte candidata ao ouro. Sunisa Lee ficou apenas 0,233 pontos atrás de Rebeca na classificatória de Tóquio. A americana, porém, apresentou maiores notas de dificuldade. Somando as quatro séries teve 23,8 pontos x 23,5 de Rebeca. Ela também tem espaço para crescer se ajustar a execução de alguns movimentos, especialmente no solo. Também é a única finalista que já somou mais pontos que Rebeca em uma competição neste ano – conseguiu 58,166 pontos no segundo dia da seletiva americana, ficando à frente inclusive de Simone Biles, que teve uma queda no dia.

Sunisa Lee nas Olimpíadas — Foto: RICARDO BUFOLIN / PANAMERICA PRESS / CBG

Sunisa tem apenas 18 anos, e também era apontada como uma candidata ao pódio no Mundial de 2019, mas falhou nas barras assimétricas, seu principal aparelho.

Angelina Melnikova – a força da tradição russa

A Rússia tradicionalmente sempre tem uma representante no páreo pelo título de ginasta mais completa do mundo. Angelina Melnikova tem tudo para brigar forte. Ela ficou apenas 0,267 pontos atrás de Rebeca na classificatória. Embora não tenha notas de dificuldade superiores às da brasileira no somatório, ela compete muito bem e é a única finalista que já foi medalhista dessa prova em um Mundial, foi bronze em Stuttgart 2019.

Angelina Melnikova nas Olimpíadas — Foto: Pete Dovgan/Speed Media/Icon Sportswire via Getty Images

Melnikova era coadjuvante de luxo na equipe russa vice-campeã olímpica da Rio 2016. Ela cresceu neste ciclo olímpico e conquistou três medalhas no último Mundial. Neste ano, foi campeã do Campeonato Europeu.

Vladislava Urazova – a força da juventude

Vladislava Urazova nas Olimpíadas — Foto:  Stringer/Anadolu Agency via Getty Images

Promessa russa, Vladislava Urazova tem apenas 16 anos. Ela só pôde competir em Tóquio por causa do adiamento dos Jogos, já que só entrou para a categoria adulta neste ano. Urazova ficou apenas três décimos atrás de Rebeca na classificatória. Ela falhou na trave da final por equipes da terça-feira, mas, acertando a cabeça, tem potencial para chegar ao pódio no individual.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: