Sem máscara, milhares protestam em Viena contra a imprensa e o fechamento de restaurantes durante a pandemia

Manifestantes protestam contra restrições no funcionamento do comércio em Viena, na Áustria — Foto: Alex Halada/AFP

Manifestantes protestam contra restrições no funcionamento do comércio em Viena, na Áustria — Foto: Alex Halada/AFP

No centro de Viena, capital da Áustria, milhares de manifestantes protestaram no sábado (6) contra as restrições para conter a pandemia de Covid-19. Convocados por um partido de extrema direita (FPÖ), eles não usavam máscara nem respeitavam o distanciamento social.

O grupo também exibia cartazes contra os meios de comunicação, chamados por eles de “imprensa falsa”.

Houve enfrentamentos isolados entre os participantes e um grupo de esquerda, contrário à manifestação. Segundo a polícia, ao final do ato, alguns foram detidos por não obedecerem à orientação de se dispersar.

Confinamento na Áustria

O último confinamento na Áustria foi suavizado em fevereiro com a abertura de escolas, lojas e museus. Mas os manifestantes protestaram contra medidas ainda vigentes, como o fechamento de restaurantes e cafeterias, e os testes obrigatórios para os estudantes que vão presencialmente às instituições de ensino.

Manifestantes foram convocados por partido de extrema direita — Foto: Alex Halada/AFP

Manifestantes foram convocados por partido de extrema direita — Foto: Alex Halada/AFP

“Quando as medidas que são tomadas têm como consequência deixar quase um milhão de pessoas desempregadas ou dispensadas temporariamente, isso destrói as pessoas em nível econômico, o que evidentemente terá efeitos de longo prazo para as famílias e as crianças que vivem nelas”, afirmou Christopher Pollack, um dos participantes do protesto.

O ex-ministro do Interior Herbert Kickl, do FPÖ, acusou o governo de levar adiante uma política “louca e estranha”.

Manifestações frequentes

As mobilizações contra as restrições durante a pandemia se multiplicaram nos últimos meses no país. O governo não descartou flexibilizar mais as medidas – desde que as infecções diminuam.

Não parece ser algo próximo a acontecer: o número de contágios tem aumentado nas últimas semanas. Neste sábado, foram registrados mais de 2.500 casos novos de Covid-19.

Segundo o ministro da Saúde, Rudolf Anschober, a variante britânica, muito contagiosa, predomina na Áustria.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: