Secretaria de Saúde do Rio registra 25 casos de variantes da covid-19

O estado do Rio de Janeiro identificou 25 pessoas infectadas com as variantes do novo coronavírus (covid-19), tanto a de Manaus como a britânica. Segundo o superintendente de Vigilância em Saúde da Secretaria Municipal de Saúde (SMS), Márcio Garcia, desse total, 18 foram notificados nesta semana, “e por isso foi ampliada a vigilância”. 

Garcia informou que os 18 casos, distribuídos em vários municípios, estão em investigação. O superintendente adiantou que a investigação já apontou que cinco casos, “muito provavelmente porque a investigação não foi concluída”, são residentes no município do Rio de Janeiro.

Vacinação

A Secretaria Municipal de Saúde informou que mantém o novo calendário de vacinação, que leva em consideração o cronograma do Ministério da Saúde para novas remessas de vacinas para a cidade, prevista para as próximas semanas. 

O superintendente confirmou que até o fim de março serão imunizadas pessoas na faixa etária de 67 a 78 anos de idade, sendo dois dias para cada idade.

Apesar de o calendário estar pronto, o superintendente disse que pode ocorrer modificação se o cronograma de entregas pelo Ministério da Saúde for alterado. 

Postos

Os postos de vacinação funcionam de segunda-feira a sexta-feira das 8h às 17h em clínicas da família e centros municipais, com pontos estratégicos em áreas maiores como o Planetário da Gávea, na zona sul; o Tijuca Tênis Clube, na zona norte, e o Museu da República, no Catete, zona central da cidade. 

O esquema de vacinação conta ainda com dois postos drive thru. Um na Uerj, na zona norte, e outro no Parque Olímpico, na zona oeste, das 9h às 15h. 

Nos fins de semana as doses são aplicadas também em outros nove pontos de drive thru.

Segunda dose

Márcio Garcia lembrou que continua a aplicação da segunda dose nas pessoas que receberam a CoronaVac, realizada com o intervalo entre 21 e 28 dias da primeira dose. “A gente recomenda que seja feita mais próximo aos 28 dias, porque o que a gente tem de evidência científica é que é melhor dessa forma”, disse.

Garcia alertou que os idosos devem ir à mesma unidade em que tomaram a primeira dose e não esqueçam do comprovante de vacinação. “É o comprovante de vacinação que diz qual o laboratório que produziu a vacina e tem também a data em que a segunda dose deve ser tomada”, observou, recomendando ainda que a procura seja a partir do fim da manhã. “Na tarde as unidades de saúde costumam ser mais vazias e mais tranquilas. A gente orienta a população procurar neste horário”.

Conforme os dados da secretaria, até ontem (3) à noite, cerca de 374 mil pessoas já tinham tomado a primeira dose da vacina, atingindo o total de 5,5% da população da cidade do Rio de Janeiro. Já na segunda dose são quase 90 mil imunizados.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: