fbpx

Sargento da PM é afastado após agredir mulher no Paraná


Sargento da PM é afastado depois de aparecer em vídeo agredindo mulher

Um sargento da Polícia Militar foi afastado pela corporação depois de aparecer em um vídeo agredindo uma mulher em uma farmácia em Paranaguá, no litoral do Paraná. Assista ao vídeo.

Segundo a Polícia Civil, os dois tiveram um relacionamento e estavam separados havia cerca de dez dias.

As agressões foram registradas por câmeras de monitoramento da farmácia na noite de sábado (12) e estão sendo investigadas pelo Núcleo de Proteção à Criança e ao Adolescente Vítimas de Crimes (Nucria), que também cuida de casos de violência contra a mulher.

Um exame de lesão corporal deve ser incluído no inquérito, assim como o depoimento das vítimas e das testemunhas ouvidas.

Uma medida protetiva foi pedida à Justiça para impedir que o policial volte a se aproximar da ex-mulher.

Homem agride mulher dentro de farmácia em Paranaguá

Homem agride mulher dentro de farmácia em Paranaguá

Nas imagens, o policial discute com uma mulher, de 29 anos, funcionária da farmácia. Em seguida ele a puxa pelos cabelos e pela roupa.

Um farmacêutico, que trabalhava no local, tenta acabar com as agressões e é empurrado pelo policial. Por medo, o funcionário da farmácia pediu demissão.

Em outra imagem, a mulher aparece atrás do caixa e é atingida por vários produtos que estão sob o balcão e são arremessados contra ela pelo agressor.

Outra mulher tenta intervir, mas ele continua.

Antes das agressões, a ex-namorada do sargento chegou a chamar policiais militares, mas assim que os agentes deixaram a farmácia, ele entrou no local.

Nas imagens, o policial discute com uma mulher, que é puxada pelos cabelos e pela roupa — Foto: Reprodução

O que diz a PM

Em nota, a PM informou nesta terça-feira (15) que o policial também teve a arma de fogo recolhida e que também vai investigar o caso.

“A PM não compactua com desvios de conduta de seus integrantes e, quando há comprovação legal, adota os canais de saneamento e correição, observados os direitos da ampla defesa e do contraditório para qualquer Militar estadual”, completou.

Um outro homem, funcionário da farmácia, tenta terminar com as agressões e é empurrado pelo policial — Foto: Reprodução

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: