São Pedro da Aldeia: Projeto “Forró Na Praça” enaltece ritmo nordestino em lives com DJ’s

Iniciativa foi uma das beneficiadas pela Lei Aldir Blanc, por meio do Prêmio São Pedro da Aldeia Cultura Viva. Lives de forró começam nesta sexta (4) 

Os fãs, adeptos e admiradores do forró pé de serra, da dança e da cultura nordestina devem ficar atentos à programação especial preparada pelo projeto “Forró Na Praça”. Nos dias 4, 13, 18 e 27 de junho acontecerá o “Baile no Sofá”, sob o comando dos DJ’s Berim, Anne, Léo Preto e Simoníssima, a partir das 21h. Devido à pandemia, os eventos serão realizados de forma on-line com transmissão ao vivo pelo Instagram em www.instagram.com/projetoforronapraca. O projeto, proposto pelo produtor cultural João Luiz Antunes, foi um dos contemplados com recursos da Lei Aldir Blanc em São Pedro da Aldeia.  

Segundo João, o “Forró na Praça” foi criado com o objetivo de desenvolver conteúdos sobre o forró e fomentar a cultura nordestina. “O projeto nasceu para levar aulas e bailes do ritmo às praças da cidade. Por conta da pandemia, precisamos nos reinventar e criamos uma página no Instagram. Nossa missão tem sido ampliar o acesso ao forró pé de serra, tanto na dança, quanto na música, e o ‘Baile do Sofá’ foi uma forma de manter vivo o nosso palco e o nosso público”, conta. 

Para as lives no Instagram, os DJs prepararam uma seleção dos melhores forrós pé de serra. O setlist vai percorrer os diversos gêneros musicais associados ao forró, passando pelo Baião, Xote, Xaxado, Côco e o Arrasta-pé. As composições costumam retratar os hábitos e costumes do povo nordestino, bem como histórias de humor e de amor e são marcadas pela presença da sanfona, do triângulo e da zabumba. 

“O projeto ‘Forró na Praça’ foi pensado para um momento muito propício, no qual nós forrozeiros estávamos presos em casa – e ainda estamos –, com muita saudade do forró. A ideia com o ‘Baile no Sofá’ é transportar as pessoas para um festival de forró, porém sem aglomeração e na segurança de nossas casas”, comentou a DJ residente, Anne.  

A proposta, de acordo com o produtor cultural responsável, é abrir caminho para a consolidação de um Circuito Forrozeiro da Região dos Lagos. “A ideia de convidar os DJs veio da nossa vivência nos festivais de forró, onde os trios, bandas e DJ’s tomam conta da pista. Nossos DJ’s são importantes incentivadores do projeto e da cultura popular brasileira. O contato, mesmo que virtual, ainda é a maneira mais segura de superarmos, juntos, esse momento tão difícil que passamos, levando ao nosso tão sonhado circuito forrozeiro”, disse João. 

Conheça os DJ’s 

Do Espírito Santo-RJ, Emerson Rogério Melo, o DJ Berim, acumula quase 20 anos de dedicação ao forró, combinando diferentes técnicas nas suas pick-ups e um repertório versátil, que mistura o clássico às tendências. Sua trajetória musical é marcada por apresentações em casas e festivais de forró, como Vibes Itaúnas, Buraco do Tatu Itaúnas, 8° Festival de Aldeia Velha-RJ, Clube 106-ES, Arrasta Pé da Ilha (Fluente/ES) e também como DJ residente nas casas Forró do Beb’s e Forró do Deck16, dentre outras.  

De Salvador-BA, Ane Luiza Santana, a DJ Ane, é conhecida por seu som diversificado, com ênfase no brega, ritmo com o qual se identifica mais. Em 2017 teve seu primeiro contato com a produção de eventos de forró, passando a dedicar-se a pesquisas sobre ritmos, qualidade de mídia, intérpretes e compositores para o enriquecimento de sua discoteca. 

De Campos dos Goytacazes-RJ, Leonardo Pacheco, o DJ Léo Preto, já comandou carrapetas e consolidou seu trabalho em prol da produção do forró pelo Norte Fluminense e em estabelecimentos comerciais, como a Oca Roots, na cidade de Campos, e em festas no Sana, distrito de Macaé. 

De São Paulo-SP, Simone Jablkowicz, a DJ Simoníssima é conhecida pelos seus sets criativos e “buena onda”, recheados de músicas para bailar. A DJ já tocou em diversos eventos de grande porte, como a Virada Cultural, em São Paulo, Circuito SESC de Artes, Festival Internacional de Curtas Metragens de São Paulo, Festival Mix Brasil, Bienal SESC de Dança, Cinemateca Brasileira, Memorial da América Latina e em festas como Calefação Tropicaos, Odara e Refrescália, dentre muitos outros. 

Prêmio São Pedro da Aldeia Cultura Viva 

Aberto em 2020 pela prefeitura, o Edital Prêmio São Pedro da Aldeia Cultura Viva contemplou 47 projetos distribuídos nos segmentos de Artes Visuais, Carnaval, Dança, Teatro, Música, Literatura, Audiovisual, Cultura Afro, LGBTQIA+ e Produção Cultural – áreas relevantes ao movimento cultural do município, que tiveram suas atividades diretamente impactadas pelas medidas de distanciamento social adotadas durante a pandemia do coronavírus. 

Viabilizado com recursos da Lei Aldir Blanc,via inciso III, o Edital concedeu prêmios em dinheiro para projetos culturais que se inscreveram e foram contemplados. Como contrapartida, os beneficiários ficam obrigados a garantir a realização de atividades e programações gratuitas, bem como a prestação de contas sobre o uso do benefício. 

Para mais notícias e informações sobre os projetos fomentados pela Lei Aldir Blanc em São Pedro da Aldeia, acesse a página oficial da Secretaria Adjunta de Cultura no Facebook, em https://www.facebook.com/culturapmspa.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: