Rússia vai expulsar 10 diplomatas norte-americanos em resposta a sanções

A Rússia anunciou nesta 6ª feira (16.abr.2021) que irá expulsar 10 diplomatas norte-americanos e proibir a entrada de outros 8 oficiais dos Estados Unidos. O governo também aconselhou que o embaixador norte-americano saia de Moscou para “consultar” Washington.

A medida é uma resposta a uma decisão similar do governo de Joe Biden, anunciada na 5ª feira (16.abr.).

Dez diplomatas foram incluídos na lista que nos foi entregue com o pedido de saída dos Estados Unidos. Vamos responder a essa medida reciprocamente e pediremos a 10 diplomatas americanos na Rússia que deixem nosso país“, disse o ministro das Relações Exteriores, Serguei Lavrov, em entrevista coletiva.

O governo de Vladimir Putin também vai proibir que norte-americanos sejam contratados em missões estrangeiras da Rússia. Lavrov disse ainda que as medidas só foram tomadas como uma resposta “as ações absolutamente hostis e não provocadas” de Washington.

Putin e Biden tinham conversado por telefone na 3ª feira (13.abr.). De acordo com um comunicado da Casa Branca um dos temas foi a intenção dos 2 países de “buscar um diálogo estratégico de estabilidade” entre as nações.

Mas, na 5ª feira (15.abr.), a administração norte-americana anunciou que iria sancionar a Rússia por supostas interferências nas eleições de 2020. Segundo os EUA, Moscou realizou um ataque hacker em novembro do ano passado para tentar ajudar Donald Trump a se reeleger.

Por causa disso, Biden expulsou 10 diplomatas russos, sancionou 6 empresas russas de tecnologia e 32 pessoas por interferir na eleição com campanhas de desinformação. Além disso, empresas norte-americanas foram proibidas de comprar títulos de dívidas públicas emitidas pela Rússia a partir de 14 de junho.

A Rússia afirmou que respostas às sanções econômicas ainda estão sendo estudadas. Mas o ministro Lavrov disse que elas serão “dolorosas” para os negócios dos EUA que tem operação em território russo.

Apesar disso, os governos afirmam que continuam comprometidos a tentar realizar uma reunião entre Putin e Biden em um país europeu. A relação entre os EUA e a Rússia tem piorado nos últimos meses. Em março, Biden chegou a dizer que Putin era um “assassino” e que pagaria caro por, supostamente, ter tentando interferir nas eleições de 2020. Em resposta, Moscou retirou seu embaixador de Washington.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: