Rodrigo Pacheco defende voto eletrônico: “Não identifico fraude nas urnas”

O presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG), defendeu o sistema de votos por meio da urna eletrônica. Em entrevista à CNN Brasil na noite desse domingo (4.jul.2021), o senador disse que não identifica indícios de fraudes em eleições.

A minha posição é de plena confiança na Justiça eleitoral brasileira. Não identifico indício algum de fraude nos resultados eleitorais do Brasil. Portanto, essa é uma opinião que tenho, que o sistema eleitoral deveria continuar pelo sistema eletrônico”, declarou.

No entanto, como presidente do Senado, devo permitir que as divergências possam coabitar e discutir um resultado que seja eventualmente diferente daquilo que eu prego ou penso.”

Foi instalada na Câmara uma comissão para analisar uma PEC (proposta de emenda à Constituição) que pode restaurar, ao menos parcialmente, as cédulas de papel nas eleições brasileiras.

A proposta, de autoria da deputada Bia Kicis (PSL-DF), determina a exigência de impressão de cédulas em papel nas eleições, plebiscitos e referendos no Brasil. Segundo o texto, as cédulas poderão ser conferidas pelo eleitor e deverão ser depositadas em urnas indevassáveis de forma automática e sem contato manual, para fins de auditoria.

Pacheco disse considerar que a PEC não vá ser aprovada no Congresso, por conta da rejeição dos partidos políticos.

O prenúncio de que todos ou a maioria do partidos, estão unidos e reunidos nessa tendência, de confiança no sistema eleitoral, a tendência de que a proposta seja rechaçada”, falou.

O voto impresso é uma pauta que tem histórico de derrotas. Atualmente seu maior defensor é o presidente da República, Jair Bolsonaro. O chefe do Executivo tem dito de que não aceitará eventual revés nas eleições de 2022 caso não haja cédulas de papel.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: