Rio teve 16 mil novas vagas de emprego entre janeiro e maio deste ano, segundo Boletim Econômico

A cidade do Rio gerou 16 mil vagas de emprego entre janeiro e maio deste ano, segundo o Boletim Econômico da cidade, lançado na manhã desta segunda-feira (19), no Palácio da Cidade, na Zona Sul, pelo prefeito Eduardo Paes e o secretário de Desenvolvimento Econômico, Inovação e Simplificação, Chicão Bulhões.

A geração de vagas aconteceu principalmente no setor de comércio e serviços, responsável por 86% das atividades econômicas do Rio. Ano passado, a cidade perdeu 105 mil vagas de trabalho no mesmo período.

Segundo o prefeito, a plena recuperação da economia do Rio depende do país como um todo, mas a expectativa é que a cidade volte a ter um índice de desemprego menor que o resto do país.

“O Rio sempre teve uma taxa de desemprego menor do que as outras regiões metropolitanas do Brasil e essa lógica se inverteu nos últimos anos”, disse Paes.

No plano de metas do poder municipal do Rio está a redução da média de desemprego do Rio de 14,7% para 8%.

A expectativa do poder municipal é que a economia da capital fluminense volte ao nível pré-pandemia em setembro.

Rio de Janeiro gerou 16 mil vagas entre  Janeiro e maio deste ano, aponta Boletim Econômico — Foto: Cristina Boeckel/G1 Rio

Aceleração da vacinação

Segundo o secretário Chicão Bulhões, a aceleração da vacinação na cidade permitiria um crescimento do PIB do Rio de Janeiro de 3% para 5%. Ele destaca que é preciso destacar que o tamanho do crescimento é causado justamente pelo Rio ter saído de um número bastante negativo.

A vacinação gerou uma perspectiva de melhora dos negócios para os empreendedores.

“O melhor plano econômico é a vacinação e isso gera um impacto positivo na geração de riquezas e na sociedade”, afirmou o secretário.

Outro destaque do boletim é a redução de 27% do número de trabalhadores informais entre abril e setembro do ano passado, como uma consequência da pandemia.

Desburocratização

Entre os projetos para a impulsionar a economia do Rio está a desburocratização da abertura e gestão de empresas junto ao poder público.

“O setor de serviços é mais vulnerável quando uma crise chega, mas ele se recupera mais rápido, consegue retomar mais rápido”, disse Bulhões.

Entre os projetos está também um curso de programação para jovens é um programa de educação financeira.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: