fbpx

Rio termina de imunizar adultos com primeira dose nesta sexta

A cidade do Rio conclui, nesta sexta-feira, a vacinação de primeira dose contra a Covid-19 entre adultos. A chegada até a faixa etária dos 18 anos, contudo, foi repleta de percalços. Nesta quinta, enquanto eram imunizados os cariocas de 19 anos, o fantasma da falta de doses voltou a pairar sobre o município. Ao longo do dia, em dezenas de postos, de diferentes pontos do município, quem buscava a proteção era informado sobre a ausência de imunizante disponível para primeira dose. Ciente da situação, a Secretaria municipal de Saúde (SMS) informou, no início da tarde, que “jovens de 19 anos que eventualmente não consigam se vacinar” poderiam fazê-lo hoje, junto com o grupo seguinte.

Durante o dia, a prefeitura recebeu, por intermédio do governo estadual, 190 mil doses de vacina despachadas pelo Ministério da Saúde (MS), que vem sendo criticado em virtude de supostos atrasos nos repasses. Segundo a SMS, porém, essa quantidade só garante a manutenção do cronograma até este sábado, quando haverá repescagem para pessoas de 20 anos ou mais.

Assim, se novas entregas não forem feitas pelo governo federal, o início da vacinação de adolescentes, prevista para segunda-feira, pode ficar ameaçado. A expectativa da prefeitura, condicionada ao ritmo de abastecimento, é imunizar todos os cariocas entre 15 e 17 anos até 31 de agosto. “A SMS conta com nova remessa do Ministério da Saúde para dar continuidade ao calendário anunciado”, afirmou, por nota, a pasta.

O avanço da vacinação é considerado a principal arma para conter a disseminação na cidade da variante Delta, apontada por especialistas como mais contagiosa. Mantendo o tom de cobranças junto ao MS, o secretário municipal de Saúde, Daniel Soranz, voltou a fazer cobranças públicas:

“Ficamos aguardando a semana toda a chegada de doses do Ministério da Saúde. Neste momento, as unidades (estão) com estoque crítico para aplicar a primeira dose de D1”, escreveu Soranz no Twitter, marcando o perfil oficial do Ministério da Saúde na mensagem. Não houve resposta.

Procurado pelo Globo, o MS também não se pronunciou sobre a previsão de novas entregas de vacina para o Rio. Em outras ocasiões, a pasta alegou que, após recebê-las dos fabricantes, repassa as doses no menor prazo possível para os estados. No entanto, como O Globo mostrou na semana passada, lotes do imunizante da Janssen ficaram até 40 dias armazenados antes de chegarem ao destino final.

Além disso, de acordo com o “RJTV”, da Rede Globo, o MS tem, atualmente, mais de 1 milhão de doses estocadas em galpões. Em entrevista ao mesmo programa, Soranz assegurou que a cidade tem vacina o bastante para seguir aplicando a segunda dose, mas só até o fim da próxima semana.

Paes vai ao STF

Em uma tentativa de assegurar, de vez, o ritmo da vacinação, o prefeito Eduardo Paes deve ingressar nesta sexta-feira com uma ação contra o Ministério da Saúde no Supremo Tribunal Federal (STF), como noticiou o colunista Lauro Jardim, do Globo. A exemplo do que fez João Doria, governador de São Paulo, Paes quer garantir que o Rio receba uma quantidade de vacina proporcional à população fluminense. Nas contas do prefeito, o estado do Rio responde por 8,48% dos brasileiros, mas teria recebido apenas 8,05% do total de doses distribuídas pelo governo federal.

Enquanto a solução não vem, a população convive com a insegurança sobre a imunização. Nesta quinta, as queixas a respeito da falta de vacina nos postos multiplicaram-se rapidamente. “São 14h e não tem vacina para primeira dose no Palácio do Catete”, reclamou uma jovem no Twitter. Outra carioca revelou, na mesma rede social, uma infrutífera peregrinação: “Eu querendo tomar a minha dose e não pude. Fui em cinco lugares e nada”. Relatos semelhantes, às centenas, tomaram conta da internet.

Como consequência, os postos nos quais ainda havia vacinas ficaram sobrecarregados. Na Cidade das Artes, na Barra da Tijuca, o movimento era pequeno até o fim da manhã. A chegada de doses do imunizante da Pfizer no início da tarde garantiu que o atendimento prosseguisse até o fim do dia, mas logo grandes filas começaram a se formar.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: