25 de julho de 2024

TV Prefeito

Portal de notícias dos municípios com videos e entrevistas. Cobertura diária das cidades das regiões: Metropolitana, Serrana, Lagos, Norte, Noroeste, Médio Paraíba e Centro Sul do estado do Rio de Janeiro. O melhor da notícia está aqui.

Rio passa a alertar sobre ondas de calor e prevê cancelar grandes eventos nas mais intensas

A partir de segunda-feira (1º), a Prefeitura do Rio de Janeiro vai alertar os cariocas sobre a chegada de ondas de calor. Nas mais intensas, grandes eventos, como shows, poderão ser cancelados.Os avisos de altas temperaturas serão incorporados aos estágios operacionais da cidade, que há anos orientam os cariocas e os serviços públicos em situações de chuva intensa ou em incidentes.

Assim como na escala de 1 a 5 adotada pelo Centro de Operações, a “fornalha” será classificada em 5 Níveis de Calor (ou NCs, na sigla), e para cada um haverá protocolos a seguir. A morte de uma fã por hipotermia durante o show de Taylor Swift no Engenhão, em novembro, foi uma das razões para a criação dessa norma.

Os índices NCs avaliam não só os termômetros, mas também a incidência de raios ultravioleta e a duração, em dias, das altas temperaturas.

O NC1, o NC2 e o NC3 não inspiram cuidados. O NC4, quando há previsão de calor intenso por pelo menos 3 dias seguidos, já vai alterar a rotina do carioca: serão disparados avisos para que a população procure as “ilhas de resfriamento” — locais previamente indicados com refrigeração.

“Quando percebermos que tem um nível de calor muito alto, com uma previsão de permanência de pelo menos 3 dias consecutivos, começa a ter um impacto na saúde”, afirmou o prefeito Eduardo Paes.

Protocolo de níveis de calor definidos pela Prefeitura do Rio — Foto: Reprodução/ Prefeitura do Rio

Protocolo de níveis de calor definidos pela Prefeitura do Rio

 

O secretário municipal de Saúde, Daniel Soranz, destacou que pontos de hidratação devem ser ampliados para a população vulnerável. Ele, que é médico, destaca que o calor excessivo pode trazer problemas.

“Com o calor intenso, a gente pode ter agravamento de algumas doenças e situações críticas. A comunicação pode fazer toda a diferença”, destacou Soranz.

O NC5 prevê, além das medidas anteriores, a suspensão de atividades de risco realizadas ao ar livre. A prefeitura destaca que isso inclui atividades esportivas e até serviços de asfaltamento e limpeza urbana.

Neste estágio, o comitê divulgará boletins meteorológicos a cada 6 horas, além de um boletim epidemiológico em até 72 horas após o fim da onda de calor.

O NC5 se caracteriza por mais pelo menos 2 horas do dia com mais de 44°C durante 3 dias consecutivos.

Chefe-executivo do Centro de Operações, Marcus Belchior, prefeito Eduardo Paes e vereadora Tainá de Paula — Foto: Reprodução/ TV Globo
Chefe-executivo do Centro de Operações, Marcus Belchior, prefeito Eduardo Paes e vereadora Tainá de Paula

Assim como os furacões, as ondas de calor também podem receber nomes, de acordo com a nomenclatura internacional usada no projeto. Os nomes usados serão os 200 mais comuns do país e os 50 nomes mais comuns em inglês e espanhol, idiomas da maioria dos visitantes da cidade.

O detalhamento das medidas será publicado em um decreto no Diário Oficial Municipal da próxima segunda-feira (1º).

Show de Taylor Swift

 

Ana Clara Benevides Machado no show do Taylor Swift. — Foto: Daniele Menin/Arquivo pessoal
Ana Clara Benevides Machado no show do Taylor Swift

 

Um dos fatores que motivaram a Prefeitura do Rio a elaborar o novo protocolo foram os acontecimentos climáticos durante os shows da cantora Taylor Swift na cidade, em novembro do ano passado. A universitária Ana Clara Benevides Machado, de 23 anos, morreu após passar mal durante a primeira apresentação. De acordo com o laudo de necropsia, ela teve uma exaustão térmica causada pelo calor.

O segundo show de Taylor Swift no Rio foi adiado por causa das altas temperaturas na cidade.

“Nós, uma cidade que sempre foi marcada pelo calor no verão, uma umidade muito grande, a sensação sempre aumenta de acordo com as nossas características. Mas esses eventos climáticos passaram a se repetir com mais frequência do que o desejado”, destacou o prefeito Eduardo Paes.

Marcus Belchior, chefe-executivo do COR, destaca que a onda de calor no show da cantora foi um marco climático na cidade.

“Em 18 de novembro a 23, que coincide com a semana do show, em nenhum momento, na história da cidade do Rio de Janeiro, tivemos um índice de calor tão alto registrado”, disse Belchior.

A medida de cuidado define a criação de um comitê permanente para o monitoramento dos índices de calor, coordenado pelo COR e com a participação das secretarias de Meio Ambiente e de Saúde.

“Uma outra possibilidade do que pode acontecer é o cancelamento ou reagendamento de eventos de médio e grande porte. Vou ser objetivo. Se esse protocolo existisse no show da Taylor Swift, nós teríamos cancelado o show, como se fez no dia seguinte. Mas se fez mais por temor dos produtores, somados ao temor da prefeitura, mas sem um protocolo naquele momento”, destacou Eduardo Paes.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *