fbpx

Retrospectiva 2020 de Resende

A Prefeitura de Resende deu passos importantes no ano de 2020, no que diz respeito à Saúde Animal do Município. Os avanços, que foram concretizados durante a pandemia do novo coronavírus (Covid-19), já estavam previstos no cronograma do governo municipal. No dia 14 de agosto de 2020, começou a funcionar o primeiro Hospital Veterinário Público da Região Sul Fluminense, respeitando todos os protocolos de segurança sanitária contra a Covid-19. Nos primeiros quatro meses da implantação da unidade hospitalar veterinária, já foram atendidos mais de 11.031 cães e gatos. O levantamento de dados foi feito até o dia 22 de dezembro de 2020.

A nova unidade hospitalar, que oferece todos os procedimentos gratuitamente e está instalada no bairro Morada da Colina, opera 24 horas por dia. Em média, são atendidos 100 animais domésticos diariamente. Para atender a demanda do município, o número de veterinários aumentou: de 16 para 22, que se revezam em escala de 12 por 36 (plantões diurnos e noturnos) ou como diaristas.

O prefeito de Resende, Diogo Balieiro Diniz, destacou a importância do Hospital Veterinário para a cidade. “O primeiro Hospital Veterinário Público da Região Sul Fluminense está em pleno funcionamento desde meados de agosto, e, em aproximadamente quatro meses, foram contabilizadas 11.031 consultas, 146 cirurgias gerais, 571 castrações, 891 ultrassonografias, 802 exames de raio-X, 26 internações e 2.331 coletas de sangue. Em razão da alta demanda, houve a necessidade de aumentar o número de profissionais especializados: de 16 para 22 veterinários. Atualmente, os veterinários atuam em escala 12 por 36 ou como diaristas. A unidade ainda conta com cinco técnicos de Raio-X, sete auxiliares de veterinário, equipes da farmácia e do laboratório, profissionais para esterilização de instrumentos cirúrgicos, além de funcionários da recepção – que inclui uma pessoa responsável pelo acolhimento – e da área administrativa e auxiliares de serviços gerais. A infraestrutura da nova unidade é moderna, com serviços de excelência e profissionais capacitados e humanizados para um público muito especial: cães e gatos, que recebem todo carinho de uma equipe qualificada e dedicada”, reforça.

O diretor do Hospital Veterinário, Rodrigo Campos Teixeira, lista os serviços disponibilizados na unidade. “O hospital oferece atendimento clínico, cirurgias e vários procedimentos. Podemos citar: serviço de castração; suturas de ferimentos; curativos e bandagens; cirurgia de piometra; cirurgia de prolapso retal; curativo ou retirada de unhas fraturadas; operação de retirada de baço; imobilização de membros fraturados, quando possível; ultrassonografia para fins diagnósticos; internação; soroterapia; aplicação de medicamentos para animais em internação; amputação de membros, quando for o caso; retirada de tumores de pele e mama, quando necessário; exames laboratoriais; enucleação; redução de protusão de globo ocular; otohematoma; caudectomia; desobstrução uretral; cesária de emergência com ovariosalpingohisterectomia; cistotomia; e herniorrafia abdominal”, informa.

 

Vale lembrar que a unidade hospitalar veterinária é voltada para o atendimento gratuito dos animais domésticos da cidade, em especial, famílias de baixa renda, que não têm condições de arcar com despesas de tratamentos e procedimentos cirúrgicos. Nesta primeira fase de implantação, atende, exclusivamente, cães e gatos residentes em Resende, onde tutores devem comprovar residência fixa.

 

INFRAESTRUTURA HOSPITALAR

 

O Hospital Veterinário possui dois consultórios, uma sala de anestesia, uma sala de isolamento, um ambulatório, uma sala de internação, um centro cirúrgico, uma sala de raio-X, um laboratório, uma sala de recuperação, copa, sala de repouso para os plantonistas, sala de antissepsia, farmácia, almoxarifado, recepções externa e interna e quatro banheiros. A unidade está localizada na Estrada Resende-Riachuelo, na Morada da Colina, próxima à Área de Exposições.

 

O CCZ

 

Já o Centro de Controle de Zoonoses (CCZ) segue com os atendimentos de animais de rua que apresentam alguma enfermidade e controle de doenças transmissíveis a seres humanos como raiva, febre maculosa, esporotricose e leishmaniose. O CCZ também desempenha atividades relacionadas ao combate à dengue, zika e chikungunya.

 

O CCZ funciona das 8h ao meio-dia, de segunda a sexta-feira, na Rua Euridice Paulina de Almeida, no bairro Vicentina II.

 

PROJETO ITINERANTE DOS CASTRAMÓVEIS É PIONEIRO EM RESENDE

 

Para otimizar o serviço de castração canina e felina do município, a Prefeitura de Resende implantou o projeto itinerante de castramóveis. O projeto busca atender o público residente, principalmente, nas áreas mais afastadas e zona rural. Até dezembro de 2020, foram castrados 601 cães e gatos pelo projeto volante.

 

O projeto começou a funcionar em julho de 2020, no Parque das Águas, no bairro Jardim Jalisco, respeitando todas as medidas de segurança sanitária necessárias devido à pandemia. Depois, o projeto percorreu as seguintes localidades: distrito de Vargem Grande; Fazenda da Barra II; Fazenda da Barra III; Fazenda da Barra I; e Surubi. A escolha dos locais para execução do projeto ocorre de acordo com a demanda, com base em levantamento promovido pelo Centro de Controle de Zoonoses (CCZ).

 

Os castramóveis atuam, exclusivamente, para a castração de cães e gatos com idade igual ou superior a seis meses, sem enfermidades, com exceção da população canina braquicefálica (focinho achatado ou curto).

 

COMO PARTICIPAR?

 

A partir da implantação do projeto no bairro onde o interessado reside, basta comparecer com o seu pet de estimação para a avaliação veterinária. No ato da triagem, é importante que o dono do animal apresente documento com foto (maior de 18 anos) e comprovante de residência de Resende, especificamente da localidade atendida pelo castramóvel.

 

Posteriormente, a equipe do CCZ agendará data e horário para retorno, quando o animal será operado. No ato da confirmação da data, a equipe também orienta sobre as condições do animal no pré-operatório.

 

ESTRUTURA

 

Os dois castramóveis, que foram produzidos na cidade paulista de Botucatu, funcionam como trailers com toda estrutura necessária para o atendimento. Cada módulo possui quatro salas: uma de preparo animal; outra de antissepsia e paramentação; uma sala cirúrgica; e uma de recuperação e prescrição médica.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: