Restrições à circulação Epicentro da Covid-19 na Coreia do Sul não tem nenhum caso pela 1ª vez

Funcionários do hospital Dongsang, de Daegu, no dia 9 de abril de 2020 — Foto: Yonhap News Agency / via Latin America News Agency/Via Reuters

A cidade de Daegu, na Coreia do Sul, que teve o primeiro grande surto de coronavírus fora da China, relatou nesta sexta-feira (10) não ter registrado nenhum novo caso da doença. É a primeira vez que isso acontece por lá desde o fim de fevereiro.

Daegu foi considerado o epicentro da doença na Coreia do Sul, onde aconteceu mais da metade dos casos no país. Isso porque as pessoas se aglomeravam durante um culto religioso na cidade que demorou a tomar precauções.

A Coreia do Sul virou rapidamente o segundo país com mais casos. O governo, então, implementou uma política de testes em massa, confinamento e distanciamento social para controlar os números.

Nesta sexta, o país teve 27 novos casos. O governo sul-coreano tem como meta se manter com menos de 50 novas infecções por dia.

De acordo com o centro de epidemiologia da Coreia do Sul, 208 pessoas morreram no país por causa da Covid-19.

Há, atualmente, pouco mais de 3 mil pessoas em quarentena obrigatória e pouco mais de 7 mil já foram liberados do isolamento.

Multa de até R$ 42 mil

Apesar dos dados que indicam um controle da pandemia no país, no começo da semana as autoridades disseram que é preciso aumentar a vigilância, porque a epidemia pode voltar a ganhar força.

Há preocupação com igrejas, hospitais e asilos e com viajantes que voltam do exterior.

No último sábado, o governo prorrogou a campanha de distanciamento social por duas semanas, citando pequenos grupos de infecções.

Os sul-coreanos se abstiveram de se socializar em fevereiro, quando o número de casos aumentou exponencialmente, mas mais pessoas começaram a sair recentemente, porque o tempo ficou mais quente, e as pessoas se cansaram do isolamento, disse Kim Gang-lip, vice-ministro de Saúde do país.

O movimento de pessoas aumentou cerca de 20% no fim de semana em comparação com o fim de fevereiro, disse ele, citando dados da agência estatal de estatística e da SK Telecom, a maior operadora de celular do país.

A partir do último domingo, o governo aumentou as multas para quem violar as regras de quarentena em até 10 milhões de won (R$ 42,7 mil) em multas ou um ano de prisão, contra 3 milhões de won (R$ 12,7 mil) em multas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: