Restos mortais de líder da Ku Klux Klan são desenterrados

Foto de 6 de fevereiro de 2013 da estátua de Nathan Bedford Forrest, um dos primeiros líderes da Ku Klux Klan, sobre um pedestal de concreto em um parque em Memphis, no estado do Tennessee. Os restos mortais do general confederado e traficante de escravos serão desenterrados e transferidos para um museu. — Foto: Adrian Sainz/AP

Os restos mortais de um líder da Ku Klux Klan começaram a ser desenterrados na terça-feira (1º) de um parque que levava o seu nome em Memphis, no Tennessee, para serem transferidos para um museu.

Nathan Bedford Forrest foi um general do Exército Confederado durante a Guerra Civil Americana, traficante de escravos e o primeiro “Grande Mago” da organização racista, entre 1867 e 1869.

Primeiro será removido um pedestal acima do seu túmulo. Depois, seus restos mortais e os da sua esposa serão transferidos para o novo Museu Nacional da Confederação em Elm Springs, Columbia.

Os trabalhos estão sendo financiados por US$ 200 mil em doações anônimas. Todo o processo pode levar semanas.

Guindaste é usado para retirar pedestal e desenterrar os restos mortais de Nathan Bedford Forrest, general confederado e líder da Ku Klux Klan, de um parque em Memphis, no Tennessee, em 1º de junho de 2021. Os corpos de Forrest e sua esposa estão sendo retirados e levados para um museu. — Foto: Adrian Sainz/AP

Guindaste é usado para retirar pedestal e desenterrar os restos mortais de Nathan Bedford Forrest, general confederado e líder da Ku Klux Klan, de um parque em Memphis, no Tennessee, em 1º de junho de 2021. Os corpos de Forrest e sua esposa estão sendo retirados e levados para um museu.

Estátua e nome do parque

Os restos mortais de Forrest tinham sido colocados no local em 1904, após serem removidos de um cemitério em Memphis.

O parque levava o nome do primeiro líder da Ku Klux Klan, mas agora se chama Health Sciences Park (Parque de Ciências da Saúde, em tradução livre).

O nome foi dado porque ele fica ao lado da escola de medicina da Universidade do Tennessee e de uma faculdade comunitária na Union Avenue, uma rua movimentada no centro de Memphis.

A estátua de Forrest (foto no início do texto) foi removida em dezembro de 2017. Para conseguir retirá-la, o parque público teve que ser vendido a um grupo sem fins lucrativos, pois uma lei do Tennessee proíbe a remoção de monumentos históricos de áreas públicas.

O parque onde Forrest foi enterrado tem sido local de protestos associados ao movimento Black Lives Matter (Vidas Negras Importam).

Debate sobre racismo nos EUA

Ativistas há muito tempo pediam a remoção da estátua e dos restos mortais do general. Eles escreveram “Black Lives Matter” em tinta amarela no chão ao redor da tumba (veja na foto acima).

O debate sobre a remoção de monumentos confederados gera debate e polêmica há anos nos Estados Unidos, em meio a discussões sobre o preconceito racial histórico no país.

A questão é especialmente delicada em Memphis, onde o líder dos direitos civis Martin Luther King Jr. foi assassinado em 4 de abril de 1968.

Traficante de escravos e proprietário de uma plantação de algodão, Forrest foi uma figura controversa na história do sul do país e morreu em 1877.

O general de cavalaria e suas tropas confederadas são acusados de executar centenas de soldados afro-americanos do Exército da União que se renderam na Batalha de Fort Pillow em 1864.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: