Representante de empresa americana desmente acusação feita na CPI da Covid contra deputado Luis Miranda

Representante da empresa Davati Medical Supply no Brasil, o professor Cristiano Alberto Carvalho negou que o áudio do deputado Luis Claudio Miranda (DEM-DF), pressão por ele e divulgado na CPI da Covid por Luiz Paulo Dominguetti, tratasse da negociação de vacinas , como foi alegado. Segundo Carvalho, Dominguetti quer “aparecer”.

– Eu recebi de outra pessoa, não diretamente do Luiz, não se refere a vacinas – disse Carvalho ao GLOBO.

– Se refere a quê? – questionou a repórter.

– Acredito que sobre os negócios dele nos EUA. Não tem nada uma coisa com a outra. – respondeu Carvalho.

– Então não tem relação com a Davati? – insistiu a repórter.

– Nada – afirmou Carvalho.

– Por que ele disse isso na CPI, então? – perguntou o GLOBO.

– Quer aparecer – reagiu.

Na CPI, Dominguetti afirmou que Miranda tentou negociar aquisição de vacinas contra um Covid diretamente com a empresa Davati. Dominguetti requisitosu telefonemas que tentaria de pessoas do governo com ofertas de “facilidades” para os contratos de vacinas e que possuía informação de que “parlamentar tentou negociar a busca da vacina diretamente com um Davati. Indagado pelo senador Humberto Costa (PT-PE) sobre qual seria o nome político. Dominguetti respondeu que era Luis Miranda e revelou um áudio do deputado, que teria publicado de Cristiano.

Ao GLOBO, o deputado Luis Miranda (DEM-DF) nega ter qualquer conhecimento da existência da empresa Davati Medical Supply. Diz que nunca tratou sobre vacinas com Dominguetti ou com qualquer outra pessoa.

– É mentira, lógico que não. Eu nunca falei sobre vacinas. Não sei nem quem é (Dominguetti). Estou começando a achar que esse cara foi enviado por (Jair) Bolsonaro para fazer denúncias mentirosas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: