Replantando Vida celebra 23 anos com três novos prêmios

O Replantando Vida, programa da Cedae que emprega pessoas que estão cumprindo pena determinada pela Justiça, comemora 23 anos de atividade neste 1º de maio, com três novas conquistas: o Prêmio ESG do Grupo Tribuna, o Selo Prosegh, da Secretaria Estadual do Ambiente e Sustentabilidade (Seas), e a Certificação de Tecnologia Social da Fundação Banco do Brasil. Com estes, chega a 32 o número de prêmios de sustentabilidade e responsabilidade social concedidos ao Replantando Vida.

 

– O programa é motivo de orgulho para a Cedae. É gratificante acompanhar o impacto positivo que ele gera para os integrantes e para o meio ambiente, criando um legado socioambiental positivo para o Rio de Janeiro – afirma Aguinaldo Ballon, diretor-presidente da Cedae.

 

Desde sua criação, em 2001, mais de 6 mil pessoas passaram pelo Replantando Vida, o maior empregador de mão de obra prisional do país, e cerca de 4,5 milhões de mudas foram plantadas.

 

Prêmio ESG

Concedido pelo Grupo Tribuna, o Prêmio ESG reconhece projetos dedicados às áreas ambiental, social e de governança. A Cedae, por meio do Replantando Vida, ganhou na categoria Ambiental (Eixo E) pelas ações de restauração florestal no Estado do Rio, o compromisso com a ressocialização de apenados e as atividades de educação ambiental.

 

Na edição deste ano, foram 32 projetos inscritos em quatro categorias, entre instituições públicas e privadas de sete estados.

 

Selo Prosegh

A Cedae foi a vencedora na categoria “Qualidade Ambiental” do Selo Prosegh – Programa Estadual de Segurança Hídrica. O destaque foi o trabalho de proteção e recuperação dos principais mananciais de abastecimento público. As equipes de reflorestamento do Replantando Vida atuam nas bacias dos Rios Guandu e Macacu, que, juntos, abastecem mais de 12 milhões de pessoas na Região Metropolitana do Rio de Janeiro. Também estão à frente do Programa de Restauração Florestal do Corredor Tinguá-Bocaina, que tem como meta conservar e restaurar 30 mil hectares de Mata Atlântica no Estado do Rio.

 

Promovida pela Secretaria Estadual do Ambiente e Sustentabilidade (Seas), a premiação chancela instituições e iniciativas que contribuem para a segurança hídrica fluminense e para a disponibilidade de água.

 

Certificado de Tecnologia Social pela Fundação Banco do Brasil (FBB)

O Replantando Vida foi uma das 87 iniciativas certificadas pela Fundação Banco do Brasil (FBB) para integrar o Banco de Tecnologias Sociais (BTS), sistema de informação utilizado para fomentar a reaplicação das tecnologias sociais.

O programa foi escolhido pela construção de bases florestais nos presídios, unindo a ressocialização de apenados ao trabalho de reflorestamento das matas ciliares. A metodologia foi implantada em 2014 na Colônia Penal Agrícola de Magé, na Baixada Fluminense, e em 2023 na Penitenciária Luis Fernandes Bandeira Duarte, em Resende.

 

Replantando Vida em números

– 23 anos de atividade;

– 32 prêmios e selos de sustentabilidade e responsabilidade social conquistados

– 6 mil pessoas já passaram pelo programa;

– 600 apenados trabalham atualmente nos setores da Companhia;

– 8 viveiros florestais com capacidade produtiva total de 2,2 milhões de mudas por ano;

– 264 espécies nativas da Mata Atlântica cultivadas, 40 delas ameaçadas de extinção;

– 4,5 milhões de mudas já plantadas;

– 2 mil hectares de áreas verdes recuperadas.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *