Reforços aumentam opções de ataque do Fluminense para 14 e acirram a concorrência no setor

O pacotão do Fluminense para a Libertadores reforçou principalmente o ataque tricolor – e curiosamente, em um momento onde o time perdeu poder de fogo às vésperas da estreia na competição. A chegada de Abel Hernández e Bobadilla acirrou a concorrência no setor e abriu um leque de 14 opções para o técnico Roger Machado, considerando os 13 atacantes inscritos no torneio continental e Ganso, que nesta temporada passou a jogar de “falso 9”.

Veja os números e o momento de cada um:

Fred

Entre as 14 opções de Roger, é quem tem o maior status de titular no momento. Aos 37 anos, o ídolo e capitão tricolor vive um bom início de temporada, onde soma cinco gols em cinco jogos e só passou em branco no clássico contra o Botafogo no último domingo. Considerando seus números desde que retornou ao clube, em maio do ano passado, acumula 10 bolas na rede em 33 partidas.

Fred marcou 10 gols desde que voltou ao Fluminense — Foto: Lucas Merçon / Fluminense FC
  • Fred: 33 jogos e 10 gols
    2020: 1.699 minutos* e 5 gols
    2021: 402 minutos* e 5 gols
    Total: 2.101 minutos* e 10 gols
    Média: 1 gol a cada 210 minutos
    *sem contar acréscimos

Abel Hernández

O centroavante uruguaio, de 30 anos, chegou ao Brasil no segundo semestre do ano passado para defender o Internacional. Pelo clube, mesmo sem se firmar como titular, conquistou muitos colorados por sua raça e pelo desempenho nos clássicos. Em 31 jogos até agora no futebol brasileiro, marcou seis gols. A tendência é que dispute posição com Fred no Fluminense.

Abel Hernández marcou seis gols em 31 jogos no Brasil até aqui — Foto: Ricardo Duarte / Inter
  • Abel Hernández: 31 jogos e 6 gols
    2020: 2.729 minutos* e 5 gols
    2021: 92 minutos* e 1 gol
    Total: 2.821 minutos* e 6 gols
    Média: 1 gol a cada 470 minutos
    *sem contar acréscimos

Bobadilla

O atacante argentino naturalizado paraguaio, de 33 anos, já chegou à seleção do país, rodou a Europa e agora terá sua primeira experiência no futebol brasileiro. Ele chega emprestado pelo Guaraní-PAR, clube onde estava desde o ano passado e marcou 14 gols em 43 jogos, mas passou em branco em 2021. De porte físico avantajado, joga mais centralizado, mas Roger cogita usá-lo também pelos lados.

Bobadilla (meio) fez 14 gols pelo Guaraní desde 2020 — Foto: Divulgação (Twitter Guaraní)
  • Bobadilla: 43 jogos e 14 gols
    2020: 2.163 minutos* e 14 gols
    2021: 494 minutos* e 0 gols
    Total: 2.657 minutos* e 14 gols
    Média: 1 gol a cada 190 minutos
    *sem contar acréscimos

Ganso

O camisa 10 tricolor já está em sua terceira temporada no Fluminense, mas só foi titular na primeira. Após perder espaço em 2020, o meia de 31 anos pediu para atuar em uma nova função em 2021, passando a atuar como “falso 9”. Na posição, ele até agora disputou cinco jogos e marcou dois gols. Apesar da média de um gol a cada 131 minutos, deve ter cada vez menos chances diante do aumento da concorrência no setor.

Ganso soma dois gols em cinco jogos como "falso 9" — Foto: André Durão
  • Ganso: 5 jogos e 2 gols
    2021: 262 minutos* e 2 gols
    Total: 262 minutos* e 2 gols
    Média: 1 gol a cada 131 minutos
    *sem contar acréscimos

John Kennedy

Uma das joias de Xerém que subiu no fim da temporada passada, o garoto de 18 anos rapidamente ganhou espaço e passou a ser o substituto imediato de Fred. Centroavante de mobilidade, ele marcou quatro gols em 15 jogos, tendo a melhor média entre os homens-gol do elenco profissional: uma bola na rede a cada 124 minutos. Mas corre o risco de perder espaço com a chegada dos reforços.

John Kennedy tem a melhor média de gols do elenco profissional — Foto: André Durão
  • John Kennedy: 15 jogos e 4 gols
    2020: 276 minutos* e 2 gols
    2021: 220 minutos* e 2 gols
    Total: 496 minutos* e 4 gols
    Média: 1 gol a cada 124 minutos
    *sem contar acréscimos

Kayky

Outra joia tricolor, o jovem de 17 anos subiu na atual temporada e já pediu passagem, ganhando uma vaga cativa na equipe nos últimos jogos. Como ponta-direita, o atacante que já está negociado com o Manchester City, da Inglaterra, marcou dois gols nas três partidas em que foi titular (são nove ao todo). Está com moral e não deve perder espaço mesmo com a chegada dos reforços.

Kayky ganhou status de titular absoluto na ponta direita com só 17 anos — Foto: Lucas Merçon / Fluminense
  • Kayky: 9 jogos e 2 gols
    2021: 380 minutos* e 2 gols
    Total: 380 minutos* e 2 gols
    Média: 1 gol a cada 190 minutos
    *sem contar acréscimos

Luiz Henrique

Mais um destaque que subiu da base em 2020, Luiz Henrique teve papel importante na caminhada rumo a Libertadores, apesar dos poucos gols, mas sendo titular em vários jogos. Aos 20 anos, ele pode jogar tanto aberto pela esquerda quanto pela direita e tenta se firmar com Roger Machado. Com a chegada dos reforços, a tendência é que passe a ser usado mais vezes saindo do banco.

Luiz Henrique teve papel importante no último Campeonato Brasileiro — Foto: Lucas Merçon / Fluminense FC
  • Luiz Henrique: 32 jogos e 2 gols
    2020: 1.361 minutos* e 2 gols
    2021: 280 minutos* e 0 gols
    Total: 1.641 minutos* e 2 gols
    Média: 1 gol a cada 820 minutos
    *sem contar acréscimos

Lucca

O versátil atacante de 31 anos pode jogar tanto centralizado quanto aberto pela esquerda, onde mais atuou na carreira. Mas ainda não conseguiu se firmar no Fluminense, onde está desde o segundo semestre do ano passado. Chegou a ser titular na reta final do Brasileirão com Marcão, mas voltou para o banco com Roger e sofre com críticas de parte da torcida.

Lucca chegou a ser titular com Marcão — Foto: Van Campos / Fotoarena / Estadão Conteúdo
  • Lucca: 24 jogos e 3 gols
    2020: 977 minutos* e 3 gols
    2021: 239 minutos* e 0 gols
    Total: 1.216 minutos* e 3 gols
    Média: 1 gol a cada 405 minutos
    *sem contar acréscimos

Caio Paulista

O atacante de 22 anos chegou ao Fluminense no ano passado e também não conseguiu se firmar no time. Dos 41 jogos com a camisa tricolor, apenas seis foram como titular. Marcou três gols pelo clube, todos que valeram pontos decisivos para a classificação para a Libertadores. Vinha sendo uma espécie de 12º jogador, um dos mais acionados em substituições, mas é outro que tende a perder espaço com a chegada dos reforços.

Caio Paulista fez gols decisivos no Campeonato Brasileiro — Foto: Mailson Santana / Fluminense FC
  • Caio Paulista: 41 jogos e 3 gols
    2020: 862 minutos* e 3 gols
    2021: 163 minutos* e 0 gols
    Total: 1.025 minutos* e 3 gols
    Média: 1 gol a cada 342 minutos
    *sem contar acréscimos

Samuel

Outra promessa da base tricolor, o centroavante de 20 anos subiu na reta final do Brasileirão e marcou um gols em apenas 23 minutos em campo. Mas não correspondeu às expectativas ao começar a temporada como titular do time sub-23, que iniciou o Carioca, e acabou perdendo espaço.

Samuel "Granada" passou em branco até agora na temporada — Foto: Lucas Merçon / Fluminense FC
  • Samuel: 6 jogos e 1 gol
    2020: 23 minutos* e 1 gol
    2021: 233 minutos* e 0 gols
    Total: 256 minutos* e 1 gol
    Média: 1 gol a cada 256 minutos
    *sem contar acréscimos

Pacheco

O jovem atacante peruano, de 21 anos, foi uma das apostas do Fluminense em 2020, mas que também não se firmou e tem apenas um gol em 31 jogos. O clube vê com bons olhos um empréstimo do jogador e negocia com o Bahia, mas como não está nada certo o inscreveu na Libertadores. Atualmente, está se recuperando de uma lesão na coxa esquerda.

Pacheco pode estar de saída do Fluminense — Foto: Lucas Merçon / Fluminense FC
  • Pacheco: 31 jogos e 1 gol
    2020: 941 minutos* e 1 gol
    2021: 45 minutos* e 0 gols
    Total: 986 minutos* e 1 gol
    Média: 1 gol a cada 986 minutos
    *sem contar acréscimos

Alexandre Jesus

O centroavante de 19 anos faz parte do elenco sub-23 do Fluminense, mas ganhou chances no profissional no início do Carioca e aproveitou: marcou um gol logo em sua estreia e tem a melhor média entre todos os concorrentes, de um gol a cada 48 minutos. Mas jogou pouco até agora e não deve ser aproveitado na Libertadores, apesar da inscrição.

Alexandre Jesus marcou um gol logo em sua estreia como profissional — Foto: André Durão
  • Alexandre Jesus: 2 jogos e 1 gol
    2021: 48 minutos* e 1 gol
    Total: 48 minutos* e 1 gol
    Média: 1 gol a cada 48 minutos
    *sem contar acréscimos

Matheus Martins

Outra joia de 17 anos do Fluminense, o atacante ainda não ganhou o espaço que Kayky conseguiu no profissional. Ele teve a chance de entrar em dois jogos no início do Carioca, um com o time sub-23 e outro com a equipe reserva. Ainda não marcou gols, mas é visto com grande potencial a ser explorado.

Matheus Martins ainda não aproveitou a brecha no profissional — Foto: Mailson Santana / Fluminense FC
  • Matheus Martins: 2 jogos e 0 gols
    2021: 44 minutos* e 0 gols
    Total: 44 minutos* e 0 gols
    *sem contar acréscimos

João Neto

É o único dos atacantes inscritos na Libertadores que ainda não jogou no time principal do Fluminense. Goleador na base, o centroavante de 17 anos, que já foi muito elogiado por Fred publicamente, tem treinando com o elenco sub-23 e espera a primeira oportunidade no profissional.

João Neto marcou nove gols na campanha do título brasileiro sub-17 — Foto: Mailson Santana / Fluminense FC
  • João Neto: 0 jogos e 0 gols
    2021: 0 minutos e 0 gols
    Total: 0 minutos e 0 gols

Com a vitória sobre o Botafogo, o Fluminense subiu para terceiro lugar da Taça Guanabara com 19 pontos e garantiu a classificação para a semifinal do Campeonato Carioca com uma rodada de antecedência. Mas o foco agora é total na estreia na Libertadores contra o River Plate na quinta-feira, às 19h (de Brasília), no Maracanã. O elenco tricolor folgou no domingo e se reapresenta na tarde desta segunda-feira, no CT Carlos Castilho, para iniciar a preparação para enfrentar os argentinos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: