Raio-x dos gols sofridos pelo Remo: como o Botafogo pode alcançar a segunda vitória na Série B

O setor de criação e conclusão tem sido o Calcanhar de Aquiles do Botafogo na temporada. Apesar de ter aumentado o número de finalizações, o time busca ser mais assertivo no último terço. Com a defesa em bom momento, Marcelo Chamusca tem o desafio de melhorar o desempenho do ataque alvinegro, que tem pela frente o Remo, às 16h do próximo domingo, em Volta Redonda, pela terceira rodada da Série B.

O adversário paraense tem 18 jogos em 2021, com 11 vitórias, seis empates e uma derrota. O aproveitamento de 72,2% é bom, e o Remo soma os mesmos quatro pontos que o Botafogo nas duas primeiras rodadas da segunda divisão. Como o time de Chamusca pode surpreender o Leão Azul?

ge preparou um raio-x dos gols sofridos pelo Remo na temporada para ajudar o Botafogo a encontrar as fragilidades da defesa adversária. Dos 17 gols que os paraenses levaram, seis saíram de jogada aérea e cinco de lances trabalhados pelo meio, com bolas enfiadas por trás da defesa.

Os 17 gols sofridos pelo Remo em 2021:

  • Jogadas pelo meio, por trás da defesa: 5
  • Jogada aérea – gols de cabeça: 6 (3 escanteios, 2 faltas e 1 contra-ataque com cruzamento da esquerda)
  • Cruzamento, defesa afasta e bola sobra na área: 1
  • Pênalti: 1
  • Cruzamento rasteiro pra pequena área: 1
  • Lançamentos longos: 2
  • Contra-ataque: 2 (1 terminou em jogada aérea e outro em passe tirando do goleiro)
Botafogo tem uma semana cheia de preparação para enfrentar o Remo — Foto: Vitor Silva/Botafogo

A maioria das jogadas aconteceu pelo lado esquerdo, seja nos cruzamentos ou nas chegadas em contra-ataques. É um setor que o Botafogo pode explorar bem, com as chegadas de Chay e Paulo Victor, que se destacaram na última partida, a vitória sobre o Coritiba.

Dos 25 gols que o Botafogo marcou até aqui, três saíram de chutes de fora da área, mas todos com Pedro Castro, que muito provavelmente não enfrentará o Remo. O time explora bem as jogadas pela esquerda, com nove lances construídos por aquele lado – o mesmo número de lances que começaram pela direta. Na bola aérea, a equipe de Chamusca marcou sete gols.

O Bota precisa melhorar as jogadas pelo centro. Foram poucas em 2021 que resultaram em gol – a mais recente aconteceu no 1 a 1 com o Vila Nova, pela estreia na Série B. Contra o Remo é importante que os atacantes pisem na área para receber a bola. O goleiro Vinicius, que costuma sair muito do gol, foi vencido algumas vezes em lances frente à frente com os adversários.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: