Queiroga é cardiologista e tem perfil moderado; conheça o novo ministro

O médico Marcelo Queiroga será o novo ministro da Saúde, substituindo o militar da ativa General Eduardo Pazuello. A informação foi confirmada pelo presidente Jair Bolsonaro nesta 2ª feira (15.mar.2021).

Com perfil moderado, Queiroga assumirá uma das maiores pastas do governo e terá que enfrentar os desafios que a covid-19 impõe aos sistemas de saúde dos Estados e municípios, além de organizar o foco das políticas públicas do ministério e acelerar a vacinação contra a doença –que está em recrudescimento nas infecções no Brasil.

O médico é natural de Cabedelo, na Paraíba. Formou-se em 1988, na Universidade Federal da Estado. Fez residência em Hemodinâmica e Cardiologia Intervencionista de 1991 a 1993.

Assumiu a diretoria técnica do Cardiocenter, em 1997, e é presidente da Sociedade Brasileira de Cardiologia desde 2020. Comandou a Sociedade Brasileira de Hemodinâmica e Cardiologia Intervencionista de janeiro de 2012 a janeiro de 2014.

Nas redes sociais, o novo ministro já curtiu diversos posts de Bolsonaro e de personalidades alinhadas ao Planalto, mas também favoritou reportagens com tom crítico ao governo, como uma publicada pelo site O Antagonista com o título: “Em Israel, comitiva brasileira inova e usa máscaras”.

Mesmo com casos específicos, a maioria dos posts lidos e comentados por Queiroga são de médicos ou publicações que citam artigos científicos –nos últimos meses, em sua maioria, com foco no novo coronavírus. O cardiologista também se mostrou entusiasta da vacinação.

Como trabalha na linha de frente, o médico foi imunizado contra a covid-19 em 20 de janeiro. Publicou vídeo em seu perfil no Instagram: “Hoje tomei a 1ª dose da vacina contra a covid-19, mais segurança para quem trabalha na linha de frente. Além disso, a cobertura vacinal ampla vai nos ajudar a conter a pandemia”.

Em seu perfil no Linkedin, entre seus interesses aparecem perfis de hospitais, veículos de mídia tradicional, instituições de ensino e órgãos governamentais. Assíduo leitor de matérias de jornais, um dos mais curtidos por ele nas redes são G1, portal do Grupo Globo, e Folha de S.Paulo. Ambos já foram duramente criticados por seu novo chefe, Jair Bolsonaro.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: