Pronto-socorro do Hospital do Retiro, em Volta Redonda, tem atendimento suspenso

O pronto-socorro do Hospital do Retiro, em Volta Redonda, no Sul do Rio de Janeiro, teve o atendimento suspenso na tarde desta quarta-feira (2). Profissionais pararam de trabalhar por falta de pagamento.

Os médicos que prestam serviço na unidade emitiram uma carta aberta dizendo que foram informados, no início de novembro, sobre o encerramento do contrato com a OS que administrava o hospital.

Segundo os funcionários, no fim de novembro, após uma reunião, havia sido acordado que a prefeitura ficaria responsável pelo pagamento do salário daquele mês. Mas ficou faltando os funcionários receberem o salário de outubro.

Por conta do atraso no pagamento de outubro, os médicos decidiram por parar as atividades.

De acordo com a prefeitura, os pacientes do setor foram encaminhados para o Hospital São João Batista, para o antigo Cais do Aterrado, para o Cais do bairro Conforto e para a UPA do bairro Santo Agostinho.Direção do Hospital do Retiro descarta demissões | Diário do Vale

Em nota, o governo municipal informou que a situação deve ser normalizada ainda hoje na unidade médica, com a vinda de novos médicos.

Disse também que voltou a cuidar da unidade após o encerramento do contrato com a OS que administrava o hospital e que vai entrar na Justiça para o pagamento referente ao mês de outubro.

O pronto-socorro do Hospital do Retiro, em Volta Redonda, no Sul do Rio de Janeiro, teve o atendimento suspenso na tarde desta quarta-feira (2). Profissionais pararam de trabalhar por falta de pagamento.

Os médicos que prestam serviço na unidade emitiram uma carta aberta dizendo que foram informados, no início de novembro, sobre o encerramento do contrato com a OS que administrava o hospital.

Segundo os funcionários, no fim de novembro, após uma reunião, havia sido acordado que a prefeitura ficaria responsável pelo pagamento do salário daquele mês. Mas ficou faltando os funcionários receberem o salário de outubro.

Por conta do atraso no pagamento de outubro, os médicos decidiram por parar as atividades.

De acordo com a prefeitura, os pacientes do setor foram encaminhados para o Hospital São João Batista, para o antigo Cais do Aterrado, para o Cais do bairro Conforto e para a UPA do bairro Santo Agostinho.

Em nota, o governo municipal informou que a situação deve ser normalizada ainda hoje na unidade médica, com a vinda de novos médicos.

Disse também que voltou a cuidar da unidade após o encerramento do contrato com a OS que administrava o hospital e que vai entrar na Justiça para o pagamento referente ao mês de outubro.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: