Programa leva educação antirracista e cultura de paz às escolas públicas

Uma ação muito especial para toda a sociedade. Comprometida com a cultura de diversidade e inclusão, a Secretaria de Estado de Educação, em parceria com a Ocyan, está desenvolvendo o programa Ocyan nas Escolas. O projeto, a ser lançado no dia 24 de abril, foca na conscientização e formação de professores para promoção de uma educação antirracista, com foco na cultura de paz nas escolas. Nesta primeira etapa, o projeto será aplicado em unidades escolares localizadas em Macaé e na zona portuária do Rio.

O objetivo do projeto é contribuir efetivamente para combater comportamentos que comprometam a manutenção de um ambiente com respeito às diversidades, através de uma metodologia que prioriza a formação de sujeitos críticos, ativos e criativos, que sejam protagonistas de suas próprias histórias. Na fase inicial, cerca de 1400 profissionais da Seeduc participarão das atividades, de forma presencial e (ou) online, visando conscientizar e capacitar os professores que lecionam para turmas do 6º ano do Ensino Fundamental ao 3º do Ensino Médio.

– Estamos falando do que deve ser um importante passo para a melhoria dos resultados da educação.  A escola é o portal da transformação. Como secretária de educação, sei que essa jornada será desafiadora, mas a confiança é enorme. A troca de experiências é fundamental para estabelecermos um regime de colaboração, avaliação e, principalmente, interação. É uma oportunidade única para promover mudanças significativas e proporcionar uma aprendizagem mais consolidada para todas as crianças e jovens – afirma a secretária de Estado de Educação, Roberta Barreto.

O Ocyan nas escolas é fundamentado em três dimensões essenciais: Diversidade e Inclusão, Educação Socioambiental e Mundo do Trabalho. Dentro de cada dimensão, serão oferecidas atividades relacionadas à Educação Antirracista, Cultura de Paz, Educação Anti-bullying; Comunicação Não-violenta; Mudança Climática e Resiliência Ambiental no Ambiente Educacional, além da execução de atividades que buscam desenvolver no estudante um conjunto de competências básicas para o exercício de qualquer profissão.

A primeira parte do projeto consiste na formação de profissionais que se tornarão multiplicadores em suas escolas, desenvolvendo projetos e iniciativas que dialoguem com a comunidade escolar.  Além do curso Mediação de Conflitos (com emissão e certificado) e de palestras e dinâmicas de grupos, o programa contará com módulos culturais com abordagem pedagógica, oficinas, imersões culturais, teatro e dança.

O projeto será iniciado com a preparação dos professores, mas a proposta é estendê-lo gradativamente a toda a rede, incluindo os alunos e a comunidade escolar. Até o fim do ano, esta ação pretende estar presente em rede, por meio da ação dos multiplicadores, fortalecendo o trabalho de redução de desigualdades na Educação Pública.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *