fbpx

Programa estadual vai fomentar artesanato e trazer capacitação para São Pedro da Aldeia

Município foi uma das 44 cidades do Estado contempladas pela iniciativa 

 ​

Os artesãos de São Pedro da Aldeia agora contam com um importante incentivo na retomada das suas atividades. O Programa Estadual de Fortalecimento do Artesanato Fluminense vai fomentar o mercado local com cursos de formação e capacitação em áreas como empreendedorismo e marketing, além da estruturação e organização de feiras de artesanato. A iniciativa é fruto de uma parceria entre a Universidade do Estado do Rio de Janeiro (Uerj) e a Secretaria de Estado de Cultura e Economia Criativa (Secec RJ). Além do município aldeense, outros 43 municípios do Estado serão contemplados com um investimento de R$15 milhões.  

O evento de lançamento do programa aconteceu na última sexta-feira (19), no Teatro Odylo Costa Filho, no campus Maracanã da Uerj. A festividade contou com a participação do secretário adjunto de Cultura de São Pedro da Aldeia, Thiago Marques, que compareceu ao lado de gestores locais e de representantes de diversos municípios da Região Metropolitana e interior.

“Estamos muito felizes por São Pedro da Aldeia ter sido uma das cidades selecionadas para este programa. Sem dúvida, nossos artesãos merecem todo incentivo. É um segmento cultural que enfrenta muitas dificuldades, principalmente agora com a pandemia. Nosso município possui um artesanato único, muito criativo e diverso. Vamos trabalhar para aproveitar ao máximo esta oportunidade”, destacou Thiago.  

O programa segue o plano estadual de cultura e a retomada das atividades econômicas e turísticas. “Nosso objetivo é fomentar a economia e o arranjo produtivo local. Com este investimento, queremos consolidar as feiras de artesanato como referências municipais, fortalecendo as práticas socioculturais de relevância em cada território”, ressaltou, na ocasião, a secretária de Estado de Cultura e Economia Criativa, Danielle Barros.  

Segundo o coordenador do projeto, Gustavo Siqueira, o trabalho envolve ainda ações de pesquisa e extensão. “A ideia é fomentar feiras de artesanato e subsidiar cursos de formação. Neste primeiro momento, o projeto vai mapear as necessidades locais, ouvir as demandas de artesãos que precisam retomar essa atividade tão abalada pela pandemia. Numa segunda etapa, vamos suprir essas necessidades e atuar na capacitação, seja para o mercado digital, contribuindo na divulgação dos produtos, seja para a organização de feiras e eventos”, afirmou o coordenador ao portal da Uerj. 

O programa é dividido em quatro eixos, que serão executados pela Uerj: formação e capacitação do artesão; estruturação de pontos de comercialização (feiras); ativação cultural dos pontos de comercialização; e pesquisa. A Secretaria de Estado de Cultura e Economia Criativa ficará responsável pela viabilização dos recursos financeiros.

O período de execução será de novembro deste ano até 31 de dezembro de 2022.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: