Pressionado, Bolsonaro vai à TV e diz que haverá vacina para todos em 2021

O presidente da República, Jair Bolsonaro, disse em pronunciamento em rede nacional de televisão na noite desta 3ª feira (23.mar.2021) que o governo brasileiro promove a vacinação contra o coronavírus.

“Ao final do ano teremos alcançado mais de 500 milhões de doses para vacinar toda a população. Muito em breve retomaremos nossa vida normal”, declarou. O governo tem sido criticado pela demora na aquisição de imunizantes e por mudanças nos cronogramas de vacinação.

Bolsonaro tenta reduzir a pressão à qual está submetido. Nesta 4ª feira deve ser reunir com governadores e chefes dos outros poderes para discutir medidas contra a pandemia. Os chefes dos Executivos estaduais têm procurado se articular com o Congresso.

Ele listou ações do Executivo para compra dos imunizantes. “Sempre afirmei que adotaria qualquer vacina, desde que aprovada pela Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária), e assim foi feito”, declarou Bolsonaro.

Bolsonaro citou, porém, o imunizante da Janssen, que até o momento não pediu licenciamento da agência. No passado, também afirmou que não seriam compradas doses da China.

Eis os momentos em que o presidente citou compra de vacinas nesta 3ª:

  • Oxford/AstraZeneca – “Em julho de 2020 assinamos um acordo com a universidade de Oxford para produção, na Fiocruz, de 100 milhões de doses da vacina AstraZeneca. E liberamos, em agosto, R$ 1,9 bilhão”
  • Covax Facility – “Em setembro de 2020, assinamos outro acordo, com o consórcio Covax Facility, para produção de 42 milhões de doses. O 1º lote chegou no domingo passado e já foi distribuído para os Estados”
  • Coronavac – “Em dezembro, liberamos mais R$ 20 bilhões, o que possibilitou a aquisição da Coronavac, através de acordo com o Instituto Butantan”
  • Pfizer – “Neste mês intercedi pessoalmente junto à fabricante Pfizer, para antecipação de 100 milhões de doses que serão entregues até setembro de 2021”
  • Janssen – “E também com a Janssen, garantindo 38 milhões de doses para este ano”

O pronunciamento foi realizado em um dos momentos de maior pressão sobre o governo federal desde que Bolsonaro chegou ao Palácio do Planalto, em 2019. O número de mortos pelo coronavírus no Brasil se aproxima de 300 mil.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: