Prefeitura interrompe festa clandestina em hotel na orla de Copacabana

Agentes da Secretaria Municipal de Ordem Pública interromperam uma festa no Hotel Pestana, na orla de Copacabana, na Zona Sul do Rio, na noite de quarta-feira (17). O evento era clandestino e estava lotado, com várias pessoas aglomeradas.

Segundo as equipes, o espaço já havia sido autuado no dia 11 de fevereiro.

Até a noite de terça-feira, as equipes da prefeitura fizeram 521 atendimentos de solicitações recebidas pela central 1746, incluindo aglomerações.

Desde sexta-feira (12), nas inspeções sanitárias, os agentes fizeram 32 interdições e aplicaram 74 infrações em estabelecimentos por aglomeração e descumprimento de outras medidas sanitárias, além da falta de licenciamento.

No período do carnaval, a prefeitura também aplicou 3.067 multas de trânsito.

Houve ainda 1.019 ocorrências, como crimes, contravenções e auxílios ao público; 139 infrações sanitárias — como aglomeração e falta do uso de máscara — e 143 flagrantes de calote no BRT e no VLT.

Outros flagrantes de aglomeração

Na terça-feira, cariocas e turistas voltaram a se aglomerar em vários bairros do Rio. Houve flagrantes de muitas pessoas juntas e sem máscara na Barra da Tijuca, na Cidade de Deus e em Curicica, na Zona Oeste, na Lapa, na região Central, e no Leblon e em Copacabana, na Zona Sul.

Uma festa no alto do Morro do Vidigal, na Zona Sul, reuniu centenas de pessoas até a manhã de quarta-feira (17).

Na laje de baixo, um DJ tocava para a multidão.

Uma hora depois, a festa clandestina havia terminado, e dezenas desciam as ladeiras do Vidigal aglomeradas.

Festa reúne centenas de pessoas no alto do Vidigal, na manhã desta quarta (17); na laje de baixo, um DJ toca para a multidão — Foto: Reprodução/TV Globo

Festa reúne centenas de pessoas no alto do Vidigal, na manhã desta quarta (17); na laje de baixo, um DJ toca para a multidão — Foto: Reprodução/TV Globo

Festas no mar

As festas clandestinas também aconteceram no mar durante o período de carnaval. Até esta terça-feira, 63 embarcações foram impedidas de zarpar, pois abrigariam festas na zona costeira, e dois guardas municipais ficaram feridos após serem atingidos com garrafas de vidro no Leblon.

O episódio de agressão aos guardas municipais ocorreu na rua Dias Ferreira, no último sábado (13), com pelo menos uma prisão por desacato.

Também na terça-feira, o RJ registrou nas últimas 24 horas o maior número de casos de Covid-19 em um dia. Foram 8.385 novos casos, segundo a Secretaria Estadual de Saúde. Os novos casos não necessariamente aconteceram no dia que foram contados.

Risco alto para Covid-19

Pelo último boletim da Prefeitura, divulgado na sexta-feira passada (12), todas as 33 regiões do Rio estão com risco alto para Covid-19. É a quarta semana seguida nessa situação.

A classificação leva em consideração o número de internações e mortes e serve para estabelecer as medidas de restrição na cidade.

Pelo balanço é possível saber, por exemplo, onde há maior circulação do vírus e em quais áreas as pessoas estão ficando mais doentes.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: