Prefeitura do Rio demolirá prédios próximos à construção que ameaçou desabar em Rio das Pedras

Equipes da prefeitura no local onde o prédio ameaçou cair, em Rio das Pedras

A Prefeitura do Rio tomou a decisão de demolir construções no entorno do prédio que ameaçou desabar, nesta quinta-feira, em Rio das Pedras, na Zona Oeste. A informação foi dada pelo prefeito Eduardo Paes, durante a divulgação do 23° boletim epidemiológico da cidade, nesta sexta-feira.

— Sobre o caso específico de ontem, os nossos times da Defesa Civil, da subprefeitura e de outras secretarias, quando houve a suspeita (de desabamento), se dirigiram ao local. Tomou-se a decisão da demolição de parte dos prédios lá existentes — disse Paes.

Nesta quinta, a prefeitura já havia anunciado que demoliria o 3° e o 4° andares do edifício localizado na Rua Estrela Dalva, cujos moradores deixaram suas casas às pressas após ouvir estalos na construção. A demolição ocorre nesta sexta-feira. O prédio fica cerca de 1km do ponto onde outro prédio desabou, no último dia 3, matando duas pessoas.

O prefeito também disse que anunciará, em breve, um programa de melhorias habitacionais voltado para construções irregulares que já estão ocupadas. Ele atuará em Rio das Pedras e em outras regiões com problema de uso indevido do solo:

— Em janeiro, publiquei um decreto criando um grupo de trabalho, sob coordenação da Secretaria de Planejamento Urbano, que a gente chama de Programa de Melhorias Habitacionais. O objetivo é, de fato, entrarmos nas construções irregulares existentes e fazermos melhorias habitacionais, sejam elas de ordem sanitária, de ajuste ou de melhorias físicas, mas também sob o ponto de vista estrutural. Estamos concluindo esse grupo de trabalho, que trabalhou nos últimos quatro ou cinco meses, e em breve vamos anunciar um programa de melhorias habitacionais.

Segundo Paes, órgãos da prefeitura desconfiam que os eventos recentes na região de Rio das Pedras possam ter sido causados não só pela precariedade das estruturas dos prédios, mas também por possíveis movimentações no solo da região, que é uma área de turfa, imprópria para construções.

— Pedi à Geo-Rio, por causa dos acontecimentos recentes em Rio das Pedras, que nos desse um parecer mais aprofundado sobre a movimentação do solo. Ali a gente sabe que é um solo muito frágil. Espero que não seja, mas é uma desconfiança. Pedi à Geo-Rio que de qualquer maneira fizesse essa avaliação, não ficasse só olhando para a estrutura dos prédios, mas para eventuais movimentações mais bruscas do solo nesse período em qualquer momento.

O prefeito afirmou ainda que contratará um novo levantamento aerofotogramétrico para monitorar não só o crescimento horizontal dessas construções, mas sobretudo o crescimento vertical:

— O imóvel de Rio das Pedras que desabou foi o imóvel que mais cresceu naquela região no período analisado. Ontem mesmo o secretário Washington Fajardo (Planejamento Urbano) me passou um levantamento sobre esses imóveis que estão ameaçando dar problema lá, e nós vamos ficar atentos. E, de novo, esperar um pouco o levantamento da Geo-Rio sobre o solo na região.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: