Prefeitura de Volta Redonda faz primeiras cirurgias de catarata do projeto Revi-VER

Programa pretende zerar fila de pacientes que esperam há mais de dois anos pelo procedimento

A Prefeitura de Volta Redonda, através da Secretaria Municipal de Saúde (SMS), antecipou para essa segunda-feira, dia 05, a realização das primeiras cirurgias de catarata do projeto Revi-VER. O programa criado pela secretaria de Saúde, no mês de aniversario da cidade, pretende zerar a fila de espera dos pacientes que aguardam pelo procedimento oftalmológico.

Há mais de dois anos os atendimentos foram interrompidos na rede pública municipal, e a demanda reprimida está sendo diluída com o projeto, que vai acompanhar os pacientes em todas as etapas: exames pré-operatórios, cirurgia e pós-cirúrgico.

Inicialmente, nesta segunda-feira foram realizadas 15 cirurgias no centro cirúrgico oftalmológico móvel, em um veículo adaptado, que está estacionado na Ilha São João, onde acontecem os atendimentos, incluindo os exames pré-operatórios. Um dos primeiros pacientes prestes a realizar a cirurgia foi Raimundo Ferreira da Silva, de 72 anos, que aguardava pelo procedimento há três anos.

“Há três anos que esperava por essa cirurgia, e hoje graças à retomada do atendimento que vou conseguir finalmente operar o meu olho esquerdo. Estou sendo muito bem atendido só tenho que agradecer ao prefeito Neto pela iniciativa”, disse.

Outra paciente marcada para a cirurgia Cirlete Gonçalves, de 64 anos, que também elogiou o retorno do atendimento. “Olha tem muito tempo que estou esperando por essa cirurgia eu nem sei dizer. O atendimento está excelente e rápido, estou muito feliz”, falou a paciente.

O início do projeto foi acompanhado de perto pelo prefeito de Volta Redonda, Antonio Francisco Neto, do vice-prefeito Sebastião Faria, da secretária municipal de Saúde Maria da Conceição de Souza Rocha, do assessor especial do governo Deley de Oliveira, diretora-geral do HMMR (Hospital Municipal Munir Rafful), Márcia Cury, secretários municipais e de grande parte dos vereadores de Volta Redonda.

O prefeito Neto destacou o retorno das cirurgias de catarata no município e citou que nesta primeira fase a meta é realizar 600 cirurgias, no entanto, o projeto prevê a realização de 4,5 mil cirurgias.

“Iniciamos hoje o projeto Revi-VER para zerar a fila de catarata existe no município. Vamos beneficiar quatro mil moradores, que vão voltar a enxergar com esse projeto, dando dignidade e melhorando a qualidade de vida da nossa população. Há mais de dois anos que não acontecia esse tipo de cirurgia na rede municipal, muitos pacientes recorriam ao Poder Legislativo para solicitar ajuda para operar em outra cidade, essa falta de respeito ao nosso povo não vai acontecer mais. Agradeço a empresa contratada e a toda a equipe da Secretaria Municipal de Saúde e aos nossos vereadores pelo apoio”, comentou.

De acordo com o prefeito, o valor cobrado pela empresa licitada é de R$ 829,00 incluindo todos os procedimentos. Neto ainda mencionou que o centro cirúrgico oftalmológico móvel foi muito bem avaliado pelo Cremerj.

“O Cremerj (Conselho Regional de Medicina do Rio de Janeiro) esteve aqui hoje avaliando o espaço e não encontrou nada de irregular, pelo contrário elogiou a estrutura. Contratamos uma empresa excelente com todos os equipamentos de primeira qualidade e o valor cobrado, de todos os exames, cirurgias, colírios e acompanhamento, é de R$ 829,00. Esse é um gol de placa que fizemos para nossa querida Volta Redonda”, disse Neto.

A secretária municipal de Saúde, Maria da Conceição de Souza Rocha, comentou que mesmo diante das dificuldades encontradas na saúde de Volta Redonda quando o governo Neto assumiu a prefeitura, está sendo possível reorganizar a saúde e beneficiar a população.

“Hoje é um dia feliz. Mesmo diante das dificuldades que encontramos estamos trabalhando e conseguindo transformar a saúde. O projeto Revi-VER, além de promover as cirurgias de catarata, vai acompanhar todos os pacientes na recuperação da visão. Esse programa também contribuirá para reorganizar a rede municipal, esse é um passo para conseguir atender a outras demandas cirúrgicas que estão com fila. E iniciamos com as cirurgias de catarata porque é a nossa maior emergência, as pessoas que estavam na fila de espera corriam risco de perder completamente a visão. Quero agradecer o apoio do vice-prefeito Sebastião Faria que com sua experiência ajudou na realização dessa iniciativa”, comentou a secretária.

O vice-prefeito Sebastião Faria foi um dos que contribuíram com o projeto Revi-VER devido à experiência na modalidade móvel cirúrgica, que já foi utilizada em outra cidade da região Sul Fluminense. 

“Era novidade para muitos a realização do procedimento dentro de um veículo adaptado, gerando uma preocupação inicial, mas a modalidade que estamos realizando em Volta Redonda é comum em outras cidades. Tivemos uma excelente experiência em Angra dos Reis e, por isso, para atender a demanda existe em Volta Redonda estamos implementando aqui”, disse Faria.

O assessor especial do governo, Deley de Oliveira fez questão de enaltecer que Volta Redonda está no processo de reconstrução. “A nossa cidade está sendo reconstruída, demos uma grande passo hoje e vamos continuar na melhoria da saúde. Volta Redonda estava destruída financeiramente em todos os setores e aspectos. Não podemos perder de vista esse trabalho de reconstrução para que cada morador no futuro possa sentir orgulho de Volta Redonda”, disse.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: