fbpx

Prefeitura de Petrópolis, por meio da Defesa Civil, implanta Sistema de Alerta e Alarme Alternativo para Escorregamento em Comunidades no Floresta

A Prefeitura, por meio da Secretaria de Defesa Civil e Ações Voluntárias inicia a implementação do Sistema de Alerta e Alarme Alternativo para Escorregamento em Comunidades, voltado para regiões que não possuem sirenes. O governo municipal estabeleceu a região do Floresta como a primeira a receber o sistema que reforça os processos de Defesa Civil, a partir da implantação de medidas que fortalecem a segurança e resiliência local, por meio da capacitação da comunidade.  Nesta semana, equipes definiram o ponto de apoio da região, testaram apitos que serão usados para o alerta aos moradores e fizeram o reconhecimento do território, onde posteriormente, será feita sinalização para o deslocamento da população em situação de emergência em decorrência de chuva forte.

“Estamos com nossas equipes dedicadas ao trabalho preventivo para o período de fortes chuvas. Esse é o início da implantação de um importante sistema que vai fortalecer a segurança na comunidade”, destacou o prefeito Hingo Hammes.

O sistema, primeiro a ser instalado na cidade, reforça os protocolos de segurança da Defesa Civil na localidade e amplia os mecanismos de alerta de forma antecipada à chegada de chuva forte. A iniciativa habilita a própria comunidade, por meio dos integrantes dos Núcleos Comunitários de Defesa Civil (NUDEC) previamente capacitados, a mobilizar a população de áreas de risco em situação de emergência. “Esse projeto empodera a população para agir no momento que acionarmos os alertas preventivos. O sistema garante que a comunidade, previamente treinada, possa se antecipar e agir de forma a garantir a segurança da população local”, destacou o secretário de Defesa Civil, o Tenente Coronel Gil Kempers, reforçando que o sistema é inspirado em mecanismo similar adotado para situações de emergência em Cuba.

O Sistema de Alerta e Alarme Alternativo cria rotas de fuga, com a sinalização de locais seguros nas comunidades, por onde os moradores serão conduzidos até o ponto de apoio. O projeto conta com a participação comunitária para uma atuação em paralelo à equipe da Defesa Civil, de modo a agilizar a mobilização dos moradores. “Esse é um projeto alternativo, um trabalho em conjunto com os moradores em que a própria comunidade, com o apoio da Defesa Civil, vai ajudar na dinâmica da localidade e fazer os alertas através dos apitos nas situações em que houver deslizamentos”, explica o diretor técnico da Defesa Civil, o geógrafo Luiz Henrique Alves da Silva, que avaliou com a equipe, a capacidade sonora dos apitos pelos pontos mapeados como rota de fuga para a região.

Nas últimas semanas, a Defesa Civil tem atuado na implantação do projeto, com estudo in loco de como será o funcionamento do sistema. Os moradores serão os atores principais para a mobilização da população que estiver em áreas de risco na região. A partir da emissão dos alertas de segurança da Defesa Civil para situação de emergência em dias de chuva forte, os representantes do NUDEC local agirão para o deslocamento dos moradores ao sinal de apitos. “Tudo isso vai ser muito importante para a comunidade em geral. Estamos somando forças para a melhoria do bairro. Os moradores estão empenhados em atuar em conjunto com a Defesa Civil. Estamos depositando muita confiança nesse trabalho que é muito necessário para somar forças e preservar vidas”, conta a moradora Michele de Souza Santos, que participou da formação do NUDEC, formado com a colaboração de 16 moradores.

Projeto é adotado para localidades onde não há mecanismo por sirenes

Na comunidade do Floresta, o Sistema de Alerta e Alarme Alternativo para Escorregamento será o primeiro mecanismo de prevenção a desastres causados pelas chuvas a ser estabelecido na localidade. Com o projeto, o NUDEC foi formalizado, assim como a definição de um ponto de apoio, que vai funcionar na Escola Municipal Duque de Caxias e a demarcação das rotas de fuga. “Essa iniciativa é muito importante, pois envolve segurança e bem-estar. Essa parceria com a Defesa Civil é fundamental. Todo esse aparato nos deixa muito seguros. Percebemos que as equipes atuam com um olhar de amor, resiliência e acolhida”, destacou a diretora da escola Catia Teresinha Barroso Berião Gorges.

Para a conclusão da implantação do Sistema de Alerta e Alarme Alternativo as equipes ainda retornarão à comunidade para a demarcação da rota de fuga e dos locais para o acionamento dos apitos pelos moradores. “Estamos no momento de estruturação do sistema e posteriormente vamos treinar os representantes do NUDEC e concluir o trabalho com um simulado envolvendo toda a comunidade. Com isso deixamos a população preparada para fortalecer o trabalho da Defesa Civil”, destacou o subsecretário de Defesa Civil, o Tenente Coronel Marcelo Abreu.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: