23 de julho de 2024

TV Prefeito

Portal de notícias dos municípios com videos e entrevistas. Cobertura diária das cidades das regiões: Metropolitana, Serrana, Lagos, Norte, Noroeste, Médio Paraíba e Centro Sul do estado do Rio de Janeiro. O melhor da notícia está aqui.

Pré-candidatos a prefeito de Nova Iguaçu nas eleições de 2024: veja a lista

Muitos partidos já lançaram seus pré-candidatos para a eleição que vai definir o prefeito de Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense, entre 2025 e 2029, marcada para 6 de outubro. Atualmente, a lista conta com seis pré-candidatos oficiais para a disputa de chefe do Poder Executivo Municipal.

Veja abaixo quem são os concorrentes até aqui (em ordem alfabética).

Aluísio Gama (PSB)

 

Aluísio Gama (PSB) é pré-candidato a prefeito de Nova Iguaçu — Foto: Reprodução redes sociais

Aluísio Gama de Souza, de 79 anos, se formou em Direito pela Universidade Cândido Mendes, além de completar mais outras duas graduações pela Uerj: Pedagogia e Geografia e Estudos Sociais. O atual pré-candidato do PSB também já foi deputado estadual, secretário do governo do estado, prefeito de Nova Iguaçu e presidente do TCE-RJ.

Na política, Aluísio Gama disputou as eleições de 1974, quando conseguiu uma cadeira na Assembleia Legislativa do Estado da Guanabara (Aleg). Com a fusão dos estados Guanabara e Rio de Janeiro, em março de 1975, essa foi a última legislatura da Aleg, que deixou de existir em 1978.

E foi nesse ano que Aluísio conquistou uma cadeira na Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro, novamente eleito como deputado do MDB. O político fez parte da segunda legislatura da Alerj, com mandato entre 1979 e 1983.

Durante o 1° governo de Leonel Brizola no Rio de Janeiro, entre 1983 e 1987, Gama ocupou o cargo de secretário de Estado de Agricultura. Na eleição seguinte, em 1989, ele conseguiu sua primeira vitória em uma eleição majoritária, quando assumiu como prefeito de Nova Iguaçu, cargo que ocupou até 1992.

Em 1993, Aluísio Gama foi indicado e tomou posse como conselheiro do Tribunal de Contas do Estado do Rio de Janeiro (TCE-RJ). Ele foi presidente do órgão de controle entre 1997 e 2000.

Gama foi conselheiro até março de 2015, quando completou 70 anos e recebeu o benefício da aposentadoria compulsória do TCE. Dois anos depois, Aluísio Gama foi um dos investigados na Operação Quinto do Ouro, da Polícia Federal (PF) e do Ministério Público Federal (MPF).

Na ocasião, ele foi preso junto com outros cinco conselheiros da corte de contas. Segundo a PF, os alvos eram suspeitos de fazer parte de um esquema de propina suspeito de ter desviado até 20% de contratos com órgãos públicos para autoridades públicas, sobretudo membros do TCE-RJ e da Alerj.

Em abril de 2017, a Justiça revogou a ordem de prisão temporária de Gama e dos outros conselheiros.

Clébio Lopes Jacaré (União Brasil)

 

Clébio Lopes Jacaré (União Brasil) é pré-candidato a prefeito de Nova Iguaçu — Foto: Reprodução redes sociais

Clébio Lopes Pereira, conhecido como Jacaré, de 55 anos, é o atual presidente do partido União Brasil em Nova Iguaçu. Nascido na cidade, ele é empresário de diferentes setores, como comércio, saúde e transportes. Ao longo de sua carreira, Clébio também investiu em negócios fora do Brasil, como na pecuária uruguaia.

Sua carreira política teve início em 2018, quando filiado ao PSL tentou uma vaga como deputado federal. Com 16.153 votos, ele terminou o pleito como suplente. Em 2022, já filiado ao União Brasil, Clébio Jacaré teve um total de 36.453 votos, mas novamente ficou como suplente.

Durante a campanha de 2022, Jacaré foi acusado de chefiar um esquema de corrupção na Prefeitura de Itatiaia, no Sul Fluminense. Segundo o MPRJ, ele comandou um grupo que fraudou contratos entre as empresas e o município.

Clébio foi um dos presos da terceira fase da Operação Apanthropía. Alguns dias depois, Jacaré foi solto mediante determinação da Justiça, que ordenou que ele deveria aguardar pelo julgamento em liberdade.

Na época, a defesa de Clébio afirmou que ele não tinha ligação com qualquer sociedade empresarial que tenha contratos com a prefeitura de Itatiaia.

Dudu Reina (Progressistas)

 

Duda Reina é presidente da Câmara de Vereadores de Nova Iguaçu — Foto: Reprodução redes sociais

Eduardo Reina Gomes de Oliveira, de 44 anos, conhecido como Duda Reina, é o atual presidente da Câmara de Vereadores de Nova Iguaçu e pela primeira vez pretende disputar uma eleição majoritária.

Nascido em Nova Iguaçu, Reina é político e empresário do setor alimentício, onde é sócio de uma confeitaria e de uma loja de doces e produtos de padaria.

Sua primeira experiência na política foi na eleição de 2020. Na época filiado ao PDT, Reina teve 8.167 votos e foi o terceiro mais votado no município. Já no primeiro mandato, ele assumiu o posto de chefe do legislativo municipal.

Além de sua atuação na Câmara de Vereadores, Duda Reina também foi subsecretário de Obras e de Governo da Prefeitura de Nova Iguaçu. Duda é o candidato da situação, indicado pelo atual prefeito Rogerio Lisboa, que chega ao fim de seu terceiro mandato como prefeito.

Iza Dutra (Novo)

 

Iza Dutra (Novo) é pré-candidata a prefeita de Nova Iguaçu — Foto: Reprodução redes sociais

Izabela Santos de Oliveira Dutra, de 36 anos, nasceu em Nova Iguaçu e é sargento da Policial Militar do Estado do Rio de Janeiro.

Conhecida como Iza Dutra, ela também é engenheira civil, com especialização em Segurança Pública e em Políticas Públicas, e com mestrado em Políticas Públicas pela Uerj.

Atualmente filiada ao Partido Novo, Iza disputou sua primeira eleição em 2022 pelo União Brasil. Na ocasião, ela tentou uma vaga na Alerj, mas terminou como suplente de deputado. No pleito, ela somou 1.315 votos.

Leonardo Mazzutti (Rede)

 

Leonardo Mazzutti (Rede) é pré-candidato a prefeito de Nova Iguaçu — Foto: Reprodução redes sociais

Leonardo Mazzutti Sobral, de 44 anos, nasceu no Rio de Janeiro, mas desenvolveu sua vida acadêmica e profissional em Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense. O pré-candidato é advogado, formado na Unig, com especialização em Direito Público e pós-graduado em Direito Eleitoral pela PUC-MG.

Mazzuti é sócio fundador de um escritório de advocacia que funciona no município. Ele também é presidente da Comissão de Direito Eleitoral da Associação Nacional da Advocacia Criminal (Anacrim-RJ).

Sua primeira experiência na política aconteceu em 2008, quando foi candidato a vereador de Nova Iguaçu pelo Partido da República (PR), antigo nome do Partido Liberal (PL). Na ocasião, Leonardo terminou como suplente de vereador, após contabilizar 310 votos no pleito.

Tuninho da Padaria (PT)

 

Tuninho da Padaria (PT) é pré-candidato a prefeito de Nova Iguaçu — Foto: Reprodução redes sociais

Antônio Araújo Ferreira, conhecido como Tuninho da Padaria, tem 60 anos, é empresário no município e nasceu em Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense.

Durante a gestão de Lindbergh Farias como prefeito de Nova Iguaçu, entre 2005 e 2010, Tuninho foi secretário de Transportes, secretário de Governo e presidente da Empresa Municipal de Limpeza Urbana (Emlurb).

Antes disso, em 2004, ele foi candidato pela primeira vez a um cargo eletivo. Na busca por uma cadeira na Câmara Municipal de Nova Iguaçu, Tuninho terminou como suplente.

Em 2014, filiado pelo PCdoB, Tuninho tentou se eleger deputado estadual. Contudo, ele terminou o pleito com 9.837 votos e mais uma vez ficou como suplente do partido.

Novos nomes até agosto

Segundo o calendário eleitoral divulgado pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE), entre 20 de julho e 5 de agosto é permitida a realização de convenções partidárias para deliberar sobre coligações e escolher candidatos às prefeituras, bem como aos cargos de vereador.

As agremiações terão até 15 de agosto para registrar os nomes na Justiça Eleitoral. Até essa data, os nomes escolhidos poderão ser alterados.

Antes disso, entre 7 de março e 5 de abril, acontece a janela partidária, quando candidatos poderão trocar de partido para concorrer às eleições sem perder o mandato.

A Justiça Eleitoral autoriza campanhas eleitorais a partir de 16 de agosto, data posterior ao término do prazo para o registro de candidaturas. Até lá, qualquer publicidade ou manifestação com pedido explícito de voto pode ser considerada irregular e é passível de multa.

Já a propaganda gratuita no rádio e na TV poderá começar em 30 de agosto e se encerrará em 3 de outubro. As eleições municipais de 2024 serão realizadas no dia 6 de outubro.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *