Por onde anda John Kennedy? Há dois meses sem jogar, atacante do Fluminense segue “sem previsão”

Na preparação para enfrentar o Athletico-PR, Roger Machado perdeu Bobadilla com um problema na panturrilha direita. O técnico do Fluminense já não tinha Abel Hernández, suspenso pela expulsão contra o Corinthians, e precisou chamar o jovem João Neto, de só 17 anos, para ser o reserva de Fred em Volta Redonda. E fez muito torcedor se perguntar: cadê o John Kennedy?

John Kennedy vem recuperando a forma no sub-23 — Foto: Mailson Santana / Fluminense FC

O atacante de 19 anos, que surgiu com destaque na última temporada, poderia ter sido uma solução, mas está há mais de dois meses “sumido”. Seu último jogo foi no dia 17 de abril, na vitória por 1 a 0 sobre o Botafogo, quando entrou no lugar de Fred nos 15 minutos finais. Antes da partida seguinte, na estreia na Libertadores contra o River Plate, da Argentina, no Maracanã, sentiu sintomas de gripe e foi cortado por precaução. Dias depois, testou positivo para a Covid-19.

Por ter tido sintomas mais fortes, teve uma quarentena maior. Foram duas semanas de isolamento e mais alguns dias sem atividades físicas, até se reapresentar ao Fluminense no fim de maio. Para recuperar o condicionamento depois de tanto tempo parado, retornou apenas com exercícios na academia e voltou a treinar com bola em campo no início de junho, integrado ao elenco sub-23. Mas um mês já se passou, e ele ainda não tem sido relacionado para os jogos da categoria ou do profissional.

Atacante surgiu muito bem na arrancada do Flu no último Brasileirão — Foto: Lucas Merçon / Fluminense FC

O Fluminense tem “blindado” John Kennedy enquanto ele não volta a jogar. O clube não explicou que tipo de sequela teve o jogador, que desde então não deu mais entrevistas e também não postou mais nada das redes sociais. A pessoas próximas, o jovem disse que ainda não sabe quando voltará a jogar. Questionado sobre o atacante em entrevista coletiva, Roger evitou se estender sobre o assunto:

– Ele está voltando depois da Covid, recuperando-se – comentou rapidamente o técnico na quarta-feira, sem entrar em detalhes.

Jovem participou de uma Live na madrugada de um dia de jogo do Fluminense — Foto: Reprodução

Antes da Covid-19, o atacante chegou a ser tema internamente no Fluminense por questões de comportamento. No Carioca, por exemplo, ele se atrasou certo dia antes da saída da delegação para uma partida, o que incomodou Roger. Outro caso aconteceu no início de abril, quando na madrugada de um dia de jogo ele participou de uma Live junto do zagueiro Higor, do sub-23, de uma dançarina e de um rapaz fumando um “cigarro suspeito”. Fato que também pegou mal no clube.

Mas John Kennedy voltou a jogar depois disso e a estufar as redes. O ge apurou que o seu “sumiço” atual não tem relação com nenhum caso de indisciplina e que é só uma questão de saúde realmente. Desde que subiu para os profissionais em janeiro, o atacante disputou 15 partidas e marcou quatro gols. Chamado de “novo Evanilson” pela imprensa portuguesa quando foi sondado pelo Benfica no ano passado, o atacante tem contrato com o Fluminense até o fim de 2024.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: