Polícia desmonta central clandestina de internet na comunidade da Chatuba

Uma central clandestina de internet foi desativada, nesta sexta-feira (1º), por policiais civis na comunidade da Chatuba, em Mesquita, Baixada Fluminense. A operadora foi descoberta após denúncias de que o local teria ligação com o tráfico de drogas que atua na favela.
Coordenada pela Delegacia de Defesa dos Serviços Delegados (DDSD), a investigação apurou que funcionários da operadora estariam cortando cabos de internet de empresas regulares, com o objetivo de monopolizar o serviço de internet na Chatuba. A atuação era feita com o apoio do tráfico.
A partir de dados do setor de inteligência, as equipes chegaram até a exata localização da central clandestina. O imóvel, uma casa alugada, tinha uma série de equipamentos usados no fornecimento de internet operando em um quarto nos fundos. Além disso, os agentes identificaram um cabo com a identificação raspada saindo em direção a um poste na rua.
Ao ser questionada, a dona do imóvel contou que alugou o espaço para um homem, mas estranhava o fato de ele nunca levar nenhuma mobília para o local. Orientada pelos agentes, a proprietária teria acionado o inquilino para pedir esclarecimentos sobre a central de internet e que ele fosse ao local. Segundo a DDSD, o suspeito deu resposta positiva, mas não compareceu ao imóvel para se justificar.

O material apreendido na casa foi levado para a sede da DDSD, onde o caso foi registrado como dano, associação ao tráfico de drogas e por desenvolver clandestinamente atividade de telecomunicações. O homem responsável pela locação do imóvel foi identificado e agora é procurado pela polícia.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *