Pandemia terá efeitos no mercado de trabalho por 9 anos, diz Banco Mundial

Relatório do Banco Mundial afirma que a crise econômica causada pela pandemia deve provocar efeito negativo sobre empregos e salários no Brasil por 9 anos.

A pesquisa, batizada de “Emprego em crise: Trajetórias para melhores empregos na América Latina pós-Covid-19”, foi divulgada nesta 3ª feira (20.jul.2021). Eis a íntegra (6 MB).

O documento diz que será muito “provável que as cicatrizes da covid se manifestem por meio de taxas mais altas de desemprego e de informalidade nos próximos ano do que por meio de salários mais baixos.”

“Este relatório conclui que, ao passo que alguns trabalhadores se recuperam da perda involuntária de emprego e de outros choques em seus meios de subsistência, outros têm sua vida profissional permanente marcada por essas ocorrências”, afirma.

A pesquisa mostra ainda que os trabalhadores com ensino superior são os menos afetados pela crise. De modo geral, os países da América Latina e do Caribe têm uma história semelhante: para homens e mulheres, a ocorrência do efeito cicatriz é forte e provável entre as pessoas de escolaridade mais baixa, diz o texto.

Desde que a covid chegou na região, o desemprego aumentou cerca de 9,8 pontos percentuais na Colômbia, 7,6 pontos percentuais na Costa Rica, 2,7 pontos percentuais no Brasil, 1,5 ponto percentual no México e 1,3 ponto percentual no Paraguai.

O tema foi debatido em live promovida pelo Banco Mundial na manhã desta 3ª feira. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: