Pamella Holanda conta que agressões de DJ Ivis começaram quando estava grávida

Ex-mulher de DJ Ivis, Pamella Holanda contou que começou a sofrer agressões do artista quando estava grávida. Em um longo papo com Fátima Bernardes, no ”Encontro” desta terça-feira, a influenciadora falou que nunca viu o ex-companheiro arrependido pela violência cometida contra ela mas que, mesmo assim, tentava relevar ”por seu temperamento”.

”As agressões começaram quando eu estava grávida ainda. Quando vejo os vídeos, parece que não sou eu. Eu tentava justificar pra mim mesma que isso acontecia pelo temperamento dele, que ele era assim. Eu mesma queria justificar”, explicou.

Pamella também falou do vídeo em que a mãe aparece, comentando que a mulher não se intrometeu entre a briga do casal por medo de Ivis: ”Aquele vídeo foi feitoem dezembro. Eu estava com Covid-19, mas, mesmo assim, a médica indicou que eu amamentasse a Mel (a filha bebê de Pamella com DJ Ivis). Ele não queria que eu amamentasse a menina por estar com Covid. Essa mulher no vídeo é minha mãe. Ela não esboça nenhuma reação porque ela também tinha medo dele. Eu nunca tinha chegado a dizer nada pra ela (sobre as agressões). Ela soube presenciando. Ele sempre muito impaciente, muito autoritário. Não podia ser contrariado. Ali, no vídeo, minha mãe pede: ‘por favor, isso vai acabar me matando’. Ela já tinha vistoi sso antes, mas tinha medo.”

Momento em que o DJ Ivis agride ex-mulher na presença da filha, de 9 meses
Momento em que o DJ Ivis agride ex-mulher na presença da filha, de 9 meses

A influenciadora contou ainda que as agressões eram constantes. Mesmo assim, ela sentiu a necessidade de mostrar os vídeos porque não acreditava que, se acusasse o ex-marido apenas com palavras, não seria ouvida. ”A gente vive num país machista e nós mulheres somos criadas nessa cultura. Eu tinha medo de que, pelo fato dele ser homem e eu mulher, tinha que provar que isso acontece. Se fosse só minha palavra contra a dele, eu ia viver tentando provar. As câmeras não foram colocadas na casa com essa finalidade, era para ajudar a monitorar minha filha, mas acabaram registrando essas agressões”, contou.

Imagem publicada por Pamela mostra rosto machucado
Imagem publicada por Pamela mostra rosto machucado

Na entrevista, Pamella afirmou que ainda tem medo de DJ Ivis, que está sendo investigado pela polícia e não pode se aproximar da mãe de sua filha. ”Com certeza tenho medo dele. Tenho até hoje. Também acho que o medo dificultou a denúncia. A questão de depender dele financeiramente, me preocupava em como seria sair daquele relacionamento. Eu não tinha nenhum tipo de reserva que podia simplesmente sair dali, e ainda tinha minha filha.”

Para Pamella, a ”gota d’água” foi a agressão sofrida no dia 1 de julho. Depois desse dia, ela resolveu se separar do DJ. ”Ali eu entendi que era de propósito, ele fazia aquilo porque queria. Ele podia fazer diferente, tentar de outra forma. Se ele decide fazer aquilo comigo, que cuidava dele, da casa dele, da filha dele, não adiantava mais esforço meu de manter um casamento e relacionamento porque ele não fazia o mínimo. E o mínimo é respeito”, contou ela, que não viu arrependimentos do ex-marido: ”Ele não se arrependia. Ele não demonstrava que se arrependia, não dizia pra mim que ia melhorar. Nunca falava isso. Ele tentou justificar o injustificável, pras pessoas não acreditarem em mim. É um homem que agride, bate, que me deixa em condições péssimas com a filha dele… São falas típicas.”

Por fim, a influenciadora pediu Justiça não somente para ela, mas para todas as mulheres vítimas de violência doméstica: ”Não quero ser um exemplo, mas espero que não seja só pra mim, não seja só porque era com alguém conhecido. Espero que as autoridades deem atenção a todos os casos porque isso é rotina no nosso país. E acho que agressão e violência não é forma de expressão e não deve ser rotina dentro de casa. Eu encorajo todas as mulheres a denunciarem e não esperarem melhora. Eu acho que quando homem bate numa mulher, ele não é doente. Ele faz isso porque quer. Ele escolhe. Não é justificável. A pessoa escolhe, é uma ação.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: