fbpx

Paes prevê início da terceira dose em idosos para semana a partir do dia 30

O prefeito Eduardo Paes anunciou, durante o boletim epidemiológico do município desta sexta-feira (20), que irá priorizar a vacinação de idosos na cidade do Rio. Segundo ele, diante do aumento de casos de transmissão pela variante Delta, o momento pede proteção das pessoas mais vulneráveis. O planejamento é que este grupo comece a ser vacinado na semana a partir do dia 30 de agosto, após a aprovação do comitê científico nesta segunda-feira (23).

“Nosso entendimento é que, aprovado isso no comitê científico na segunda-feira, já na outra semana nós iniciarmos em paralelo com os adolescentes, no calendário previsto, a aplicação da terceira dose das pessoas mais velhas, elas precisam ser protegidas. Então, para a garotada que quer se vacinar antes: nós precisamos proteger quem mais precisa”, declarou o prefeito.

Paes destacou que aguarda a chegada de novas remessas da vacina entre esta sexta-feira e amanhã e que as doses serão destinadas à aplicação nos idosos em paralelo com os adolescentes. “Eu quero deixar bem clara a posição da prefeitura, nós preferimos fazer a terceira dose das pessoas mais velhas do que antecipar a segunda dose dos mais jovens. Nós entendemos que neste momento, com o aumento de casos, com a variante delta, é muito importante que a gente proteja as pessoas mais vulneráveis à doença”, disse Paes, durante a reunião.

“Os últimos 30 dias internamos 286 idosos que já poderiam ter tomado as duas doses da vacina e não tomaram quando estavam elegíveis. Vamos fazer uma grande busca ativa de todos que não tomaram a primeira dose, mas quem conhece uma pessoa nesta situação pode levá-la a um de nossos postos. Temos uma nova variante e um aumento expressivo no número de casos, mas ainda vemos pessoas que não se vacinaram”, disse o secretário municipal de Saúde, Daniel Soranz.

Medidas restrititvas

Paes afirmou que poderá voltar a tomar medidas mais restritivas, caso o número de casos graves de covid-19 e de óbitos aumente. A cidade vive o maior pico de casos da doença desde o início do ano, em decorrência da variante Delta, que segundo estudos é mais transmissível.

“Nosso apelo aos cariocas: havendo aumento de agravamentos, podemos voltar tomar novas medidas restritivas”, afirmou Paes. “Se tivermos aumento de casos se agravando, nossa decisão vai ser restringir. Pedi que a secretaria de Saúde me informe diariamente. Antes, estava sendo informado uma, duas vezes por semana. Se for necessário, a gente aumenta as restrições”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: