Operação Lei Seca retira das ruas em maio 1,1 mil motoristas embriagados

A Operação Lei Seca realizou mais de 200 ações de fiscalização e conscientização no mês do movimento Maio Amarelo, que chama a atenção da sociedade para o alto índice de mortos e feridos no trânsito. Naqueles 31 dias, 10.081 motoristas foram abordados, sendo que 1.184 deles estavam embriagados e foram retirados das ruas. A média de alcoolemia no estado subiu em comparação com o mês anterior: de 9,95% para 11,74%.

Palestras virtuais e presenciais para órgãos públicos e empresas de diferentes segmentos foram realizadas em maio pela equipe de educação da Lei Seca, composta por 28 agentes (pessoas com deficiência – PCDs) vítimas da mistura álcool e direção. A mensagem de conscientização ultrapassou os limites do estado chegando a várias regiões do Brasil, como no caso das palestras virtuais para as redes de Drogarias Pacheco e de fast food McDonald’s. Já a Dínamo Engenharia distribuiu a mensagem para mais de 400 colaboradores. A Base Aeronaval da Marinha, em São Pedro da Aldeia, também recebeu equipe e irá disponibilizar em sua plataforma de conteúdos a palestra para que cada vez mais jovens sejam conscientizados sobre essa perigosa mistura.

Ações de conscientização como as blitzes educativas, em parceria com o Detran.RJ, também fizeram parte da programação de atividades realizadas no estado pela Operação Lei Seca durante a campanha do Maio Amarelo.

O superintendente da Operação Lei Seca, tenente-coronel Luiz Carlos Segala, ressalta que as ações de conscientização e fiscalização são essenciais para salvar vidas.

– O mês de maio é uma importante referência para alertar as pessoas sobre os riscos do trânsito. A campanha contribui para que a população reflita e repense suas atitudes para que possamos juntos construir um trânsito mais humano e diminuir os acidentes – afirma o superintendente.

Altos índices de alcoolemia preocupam

No primeiro dia do mês, a Operação Lei Seca registrou um alto número de casos de alcoolemia nas blitzes de fiscalização no estado. Dos 535 abordados, 119 motoristas embriagados foram retirados das ruas. Os municípios de Queimados e Campos dos Goytacazes apresentaram altas taxas de condutores flagrados sob efeito de álcool. Duas blitzes foram realizadas em Queimados, e o percentual atingiu 28,4%. Já em Campos, as ações atingiram 21,4% dos motoristas. Nas ações realizadas na Estrada do Mato Alto, em Campo Grande, Zona Oeste da capital, foram abordadas 146 pessoas, e 23,3% de casos de alcoolemia, registrados no dia 1º de maio.

O recorde de alcoolemia aconteceu em Volta Redonda no dia 22 de maio. A Operação Lei Seca abordou 151 motoristas na Avenida Amaral Peixoto, e 36,42% dos casos eram de motoristas embriagados. No mesmo dia, dos 144 motoristas abordados em blitzes em Jacarepaguá, 25,69% estavam embriagados. Ainda naquele fim de semana, na sexta-feira (21/05), 125 pessoas foram abordadas na Rua Angélica, em Barra do Piraí, e o percentual de alcoolemia registrado foi de 20,8%.

O mês também terminou com alto número de motoristas embriagados flagrados nas ruas. No último sábado do mês (29/05), em Bom Jesus do Itabapoana foram registrados 26,47% de casos de alcoolemia.  

De acordo com o superintendente da Operação Lei Seca, um trânsito seguro é feito por meio de escolhas de cada cidadão.

– Respeitar as leis de trânsito, optar por usar o cinto de segurança e não beber antes de dirigir são escolhas que afetam diretamente a segurança no trânsito – reforça Segala.

Desde o início da Operação Lei Seca do Rio de Janeiro, em 2009, até hoje, 17.411 ações de educação e 26.652 ações de fiscalização foram realizadas em todo o estado.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: