Operação da PF apura irregularidades em contratos do Instituto de Psiquiatria da UFRJ

Nesta quinta-feira (08/07), a Polícia Federal (PF) do RJ prendeu duas pessoas na segunda fase da Operação Pronta Emergência, que investiga supostas irregularidades em contratos do Instituto de Psiquiatria da Universidade Federal do Rio de Janeiro (Ipub/UFRJ). Três servidores da UFRJ também foram afastados.

Os dois presos, ambos empresários, ainda não foram identificados. Eles foram presos na Barra da Tijuca, na Zona Oeste, e em São Francisco, em Niterói.

Segundo a PF, os servidores afastados se associaram criminalmente a empresários, a fim de direcionar diversas licitações em troca do recebimento de vantagens indevidas. A PF cita como irregularidades na montagem dos processos de licitação:

  • cotações fictícias, superfaturadas e com empresas integrantes da organização criminosa;
  • elaboração de estudo técnico preliminar pelas próprias empresas, sendo posteriormente preenchidos no Ipub;
  • direcionamento da contratação mediante pagamento de vantagens indevidas aos servidores.

Os agentes da Delegacia de Combate ao Crime Organizado (Delecor/PF) também cumpriram nove mandados de busca e apreensão, expedidos pela 1ª Vara Federal Criminal do Rio. Os investigados respondem pela prática dos delitos de organização criminosa, peculato e fraudes em licitação.

Na primeira etapa da operação Pronta Emergência, em fevereiro deste ano, a PF cumpriu 10 mandados de busca. Não houve prisões. Os recursos públicos sob suspeita de irregularidades somavam mais de R$ 6 milhões, segundo investigação à época.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: