ONU pede aos Emirados Árabes provas de que princesa de Dubai está viva

O órgão de defesa dos direitos humanos da ONU afirmou, nesta sexta-feira, que pediu aos Emirados Árabes Unidos mais informações sobre a situação de Sheikha Latifa, filha do Emir de Dubai, e provas de que ela está viva. A solicitação veio após ser divulgado um vídeo em que Latifa afirma ter sido sequestrada e estar sendo mantida em cativeiro a mando do pai, o xeque Mohammed bin Rashid al-Maktoum.

O programa de notícias investigativo da BBC, Panorama, publicou na terça-feira um vídeo que dizia ser de Latifa, uma das filhas do governante de Dubai, contando que estava sendo mantida contra sua vontade em uma villa com barricadas.

— Levantamos nossas preocupações sobre a situação à luz das perturbadoras evidências que surgiram esta semana. Solicitamos mais informações e esclarecimentos sobre a situação atual de Sheikha Latifa — disse Liz Throssell, porta-voz do Escritório do Alto Comissariado para os Direitos Humanos (OHCHR), em Genebra. Segundo ela, a agência do OHCHR abordou a missão permanente do país em Genebra na quinta-feira.

— Dadas as sérias preocupações com Sheikha Latifa, solicitamos que a resposta do governo seja uma questão de prioridade. Pedimos prova de vida — acrescentou Throssell, ressaltando que a agência continuará monitorando a situação de perto.

Sheikha Latifa bint Mohammed al-Maktoum chamou a atenção internacional em 2018 quando um grupo de direitos humanos divulgou um vídeo feito por ela no qual era descrita uma tentativa de fuga de Dubai. Na quarta-feira, o chanceler do Reino Unido, Dominic Raab, já havia entrado em contato com o governo dos Emirados Árabes para pedir uma prova de vida.

Em março passado, um juiz da Suprema Corte de Londres disse que aceitava como prova uma série de alegações feitas pela ex-esposa do xeque Mohammed, a princesa Haya, em uma batalha judicial, incluindo a de que o xeque ordenou o sequestro de Latifa. Os advogados dele rejeitaram as acusações.

— Eu sou um refém e esta villa foi convertida em uma prisão. Todas as janelas estão fechadas com barras, não consigo abrir nenhuma janela — disse Latifa, 35, no vídeo publicado pela BBC. Ela afirmou que estava fazendo o vídeo no banheiro da villa, o único cômodo em que poderia se trancar.

A Reuters não pôde verificar de forma independente quando ou onde o vídeo foi gravado. O escritório de mídia do governo de Dubai e o Ministério das Relações Exteriores dos Emirados Árabes Unidos não responderam imediatamente a um pedido de comentário.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: