O GLOBO, Extra, Valor e CBN promovem debate entre candidatos ao governo do Rio

Os jornais O GLOBO, Extra e Valor Econômico, além da rádio CBN, promovem, nesta quinta-feira, um debate entre os principais candidatos ao governo do Rio. O encontro vai reunir os quatro aspirantes ao Palácio Guanabara cujos partidos contam com representação de pelo menos cinco parlamentares no Congresso Nacional: o atual chefe do Executivo, Cláudio Castro (PL); o deputado federal Marcelo Freixo (PSB); o ex-prefeito de Niterói Rodrigo Neves (PDT); e o deputado federal Paulo Ganime (Novo).

O evento começa às 10h e será transmitido ao vivo e terá duração aproximada de duas horas. É possível acompanhar pelos sites e redes sociais dos quatro veículos, bem como pela rádio CBN. O canal do jornal O GLOBO no Youtube também estará transmitindo o encontro em tempo real. O debate vai acontecer no auditório do Sesc do Flamengo, na Zona Sul do Rio. A realização é dos quatro veículos, com apresentação da Fecomércio-RJ.

O formato do debate foi definido com representantes das campanhas. A ordem das participações em cada um dos blocos será alinhada por sorteio realizado antes do início do evento, na presença de representantes dos candidatos.

No primeiro bloco, após a apresentação, os candidatos farão perguntas de tema livre entre si, com cada um perguntando e respondendo uma única vez. Serão 30 segundos para a pergunta, dois minutos para a resposta e um minuto tanto para a réplica quanto para a tréplica, não sendo permitido estourar o tempo.

No segundo bloco, colunistas dos quatro veículos farão duas perguntas para o mesmo candidato, com a segunda sendo elaborada logo após a primeira resposta. Cada pergunta deverá ter 30 segundos, enquanto a primeira resposta terá dois minutos, e a segunda, um. Os jornalistas escalados são: Lauro Jardim (O GLOBO), Berenice Seara (Extra), Francisco Góes (Valor) e Frederico Goulart (CBN). Já a mediação caberá a Carlos Andreazza, colunista do GLOBO e da CBN.

Já o terceiro bloco terá formato idêntico ao primeiro, com perguntas e respostas entre os próprios adversários. O quarto e último bloco repetirá os moldes de enfrentamento direto, seguido das considerações finais de cada candidato, com dois minutos disponíveis para a mensagem de cada um.

Em caso de ofensa moral e pessoal, o candidato poderá solicitar aos mediadores direito de resposta. A decisão de conceder ou não esse direito será de competência de uma comissão formada por integrantes dos três jornais e da rádio.

Se possível, o direito de resposta será concedido de imediato, de preferência no mesmo bloco. Caso não seja viável, isso acontecerá no início do bloco seguinte. O tempo destinado ao direito de resposta será sempre de um minuto.

O direito de resposta se limita a ofensas no campo moral, não abrangendo avaliações negativas sobre propostas de governo ou desempenho administrativo. Se um candidato que obtiver o direito de resposta se desviar do conteúdo da ofensa recebida ao se manifestar, o mediador poderá intervir.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.