Niterói passa a integrar a Aliança pela Ação Climática

Uma das metas da iniciativa é que sejam cumpridos os compromissos pactuados no Acordo de Paris para conter o aumento do aquecimento global. Documento prevê metas para a redução da emissão de gases do efeito estufa

Niterói passou a fazer parte da Aliança pela Ação Climática (ACA) Brasil, uma coalizão dedicada a empreender medidas e aumentar o apoio público no enfrentamento à emergência climática mundial. O prefeito Axel Grael assinou o termo de adesão e lembrou que o município tem boa visibilidade nacional no campo das ações para a sustentabilidade ambiental.

O convite para a adesão da cidade partiu da equipe do Local Governments for Sustainability (ICLEI) Brasil, uma rede internacional da qual Niterói é membro desde 2017. Uma das metas da iniciativa é que sejam cumpridos os compromissos pactuados no Acordo de Paris, que foi assinado por 195 países para conter o aumento do aquecimento global e prevê metas para a redução da emissão de gases do efeito estufa. O movimento já existe nos Estados Unidos, Vietnã, México, Argentina, Japão e África do Sul.

“Desde 2013, a questão climática é tratada com muita seriedade em Niterói. A Prefeitura desenvolve projetos voltados para educação ambiental, preservação de parques e florestas, recuperação da Lagoa de Piratininga, iniciativas de reflorestamento, controle da emissão de gases do efeito estufa, entre outros. Recentemente, criamos uma Secretaria do Clima que cuida das políticas de prevenção, adaptação e mitigação de danos com relação às mudanças climáticas. É a primeira Secretaria do Clima do País. Niterói se tornou signatária da ACA porque assume sua responsabilidade e liderança nesse tema tão vital e estratégico”, destacou Axel Grael.  

Atualmente, a ACA conta com 17 cidades membros, três estados, nove empresas e investidores e 14 organizações da sociedade civil organizada. No Brasil, a missão da aliança é mobilizar autoridades locais e estaduais, acadêmicos, lideranças empresariais, organizações da sociedade civil e a juventude sob a bandeira da Aliança pela Ação Climática, para aumentar o tamanho do movimento subnacional e também de organizações não governamentais; melhorar a clareza e consistência de suas mensagens coletivas; melhorar as sinergias entre as iniciativas em curso em apoio às ações climáticas locais, contribuindo para redução concreta de emissões e para um aumento da resiliência dos territórios, tanto individual como colaborativamente.

A Secretária do Escritório de Gestão de Projetos da Prefeitura de Niterói, Valéria Braga, pontuou que a adesão do município à ACA reforça todo o comprometimento que existe de Niterói com a causa climática.

“Uma coalizão representativa de vários setores fortalece as ações e otimiza seus impactos. Além disso, as oportunidades de troca de conhecimentos entre essas diferentes instituições, faz com que as possibilidades de parcerias e cooperações tragam excelentes resultados para Niterói”, afirmou.

O secretário municipal do Clima, Luciano Paez, reforçou que Niterói já vem fazendo o seu dever de casa no que diz respeito à mitigação dos efeitos das mudanças climáticas há alguns anos.

“Muitas secretarias como a Defesa Civil, Meio Ambiente, Urbanismo, entre outras, eram integradas em um grupo executivo (Geclima) que produziam as principais ações municipais sobre o tema. O reconhecimento internacional das instituições e governos sobre a nossa cidade vem também deste trabalho anterior à criação da Seclima, a primeira secretaria municipal do Clima do Brasil. Este termo de adesão assinado pelo prefeito corrobora que esta gestão está pronta para os grandes desafios que teremos de enfrentar enquanto uma cidade resiliente e sustentável”, disse.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: