Niterói inicia trilhas acessíveis para cadeirantes no Parque da Cidade

A Prefeitura de Niterói lançou, neste domingo (23), o projeto EcoTur sem Barreiras, que possibilita que pessoas cadeirantes e com dificuldade de locomoção possam participar de trilhas ao ar livre a aproveitar um pouco da natureza da cidade. O passeio é gratuito e acontecerá duas vezes por mês, saindo do Centro de Visitantes do Parque da Cidade, em São Francisco. A trilha será feita usando uma cadeira de rodas especial e adaptada, levada por voluntários e funcionários do parque. As inscrições podem ser feitas pelo site www.visit.niteroi.br/niteroiecotur.

O programa é realizado pela Niterói Empresa de Turismo e Lazer (Neltur), em parceria com as secretarias de Meio Ambiente e de Acessibilidade e o Clube Niteroiense de Montanhismo. O primeiro roteiro adaptado foi o Bosque dos Eucaliptos, uma trilha bem conservada de pouco mais de 1 km de esforço físico leve e que permite o contato com a natureza, apreciação de belas paisagens e boas oportunidades de fotos.

O Prefeito de Niterói, Axel Grael, que acompanhou a equipe na trilha, destaca que Niterói tem muitas áreas verdes e uma grande oportunidade de liderar o processo de inclusão e sustentabilidade no processo para esse novo normal.

“Niterói tem uma grande oportunidade. Uma cidade dentro de um contexto metropolitano que tem mais de 50% do seu território protegido por unidades de conservação com parques municipais e áreas verdes que estão à disposição dos moradores e do ecoturismo. Precisamos fazer dessa oportunidade uma opção de lazer da cidade. E agora estamos vivendo um grande desafio com a retomada da economia e do cotidiano nesse novo normal. Um novo momento que vem pela frente e que precisa ser melhor do que o que havia antes. Tem que ser mais inclusivo, mais sustentável, mais colaborativo e mais solidário. E Niterói tem chance de liderar esse processo”, frisou o prefeito.

Carol Basílio, ex-atleta da seleção de futebol e atleta paraolímpica, foi a primeira a testar a Jullieti, nome dado à cadeira adaptada para o percurso da trilha. Carol também ajudou a treinar a equipe de voluntários que dá suporte com a cadeira.

“A intenção é ampliar as possibilidades de inclusão porque acesso não é igual a inclusão. Hoje estamos conseguindo, dentro de um equipamento turístico de Niterói, fazer com que as pessoas com deficiência tenham acesso as trilhas. Isso é um avanço. O processo foi bem minucioso porque a gente precisava minimamente desenvolver alguma habilidade com os guias, os voluntários e com os órgãos envolvidos no projeto para que eles tivessem algumas experiências do que é receber a pessoa com deficiência para atender essa demanda da melhor maneira possível”, ressaltou Carol. “Além disso, para mim é uma grande emoção estar de volta ao parque depois de 10 anos do meu acidente. Minha avó mora aqui perto e eu vinha muito antes. Agora volto a poder frequentar e com autonomia para ocupar os espaços já que o parque conta com banheiro adaptado, rampas e estacionamento para deficientes”.

Rafael Robertson, secretário municipal de Meio Ambiente, Recursos Hídricos e Sustentabilidade, fala da gratificação, da parceria do projeto e dos planos para o futuro do Parque da Cidade.

“É muito interessante estarmos, neste domingo, contemplando esse projeto inovador na cidade de Niterói e de integração entre a Neltur, que trabalha a questão do turismo, a Acessibilidade trazendo o olhar da inclusão e o acesso a todas as pessoas e a Secretaria de Meio Ambiente que é gestora do Parque da Cidade,  uma unidade de conservação. Temos uma grande responsabilidade e um grande desafio de transformar o nosso parque em um local cada vez mais acessível. Muito em breve, teremos a implantação de totens com tecnologia assistiva dentro do parque, onde as pessoas terão acesso a história e tudo que o parque oferece e seguimos trabalhando para transformar o máximo de trilhas possível dando acessibilidade e trazendo inclusão para dentro do parque”, contou o secretário.

De acordo com Jennifer Lyn, coordenadora de Acessibilidade do município, esse é um projeto muito importante para toda cidade de Niterói porque traz de volta o social.

“Muitas vezes, a pessoa com deficiência está escondida dentro de casa por não ter alternativas ou formas de convívio com a sociedade. Essa pessoa já encontra barreiras atitudinais, arquitetônicas e de informação e com esse projeto vamos conseguir desconstituir essas barreiras. Vamos levar a pessoa com deficiência para o convívio da sociedade e isso é de suma importância para a qualidade de vida dela e de sua família. Vamos trazer a tecnologia assistiva para o parque e tenho certeza que Niterói será uma cidade de referência em acessibilidade”, disse.

O presidente da Neltur, Paulo Novaes, explica que uma nova era vai se estabelecer no cenário pós-pandemia e que o ecoturismo e esse tipo de interação das pessoas com a natureza vão ser promissores. “Niterói tem 56% da sua área protegida. É uma cidade preparada e com muitos equipamentos próximos um do outro, como o Parque Orla e os Fortes, o que facilita o acesso para o agente de turismo. Acreditamos que o turismo vai ser um dos braços da retomada da economia pós-pandemia e estamos partindo na frente e esse é o início, um marco do trabalho que vem sendo desenvolvido há dois anos pela prefeitura”.

Trilhas – Os passeios são realizados duas vezes por mês, sempre aos domingos, partindo da sede do Parque Natural Municipal de Niterói (Parnit), no Parque da Cidade. Os passeios são gratuitos e contarão com guias bilíngues. As saídas acontecem sempre às 8h, com grupos de acordo com o nível de dificuldade de cada trilha e obedecendo aos protocolos de combate à Covid-19. É necessário se inscrever pelo site (www.visit.niteroi.br/niteroiecotur).

Pessoas entre 10 anos e 16 anos precisam estar acompanhados dos responsáveis legais, que devem autorizar, por escrito, a participação no tour. Já jovens com mais de 16 anos e menos de 18 anos devem apresentar autorização dos responsáveis legais. A partir de 18 anos, é preciso assinar o Termo de Compromisso e Responsabilidade.

A trilha do Bosque dos Eucaliptos está sendo preparada para ser totalmente acessível: além do uso da cadeira de rodas especial, o local receberá sinalização em Braile para leitura dos deficientes visuais e QRcodes que, lidos pelo celular, darão acesso à um guia virtual em narrado em libras, voltado para deficientes auditivos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: