fbpx

Município de São João da Barra, no RJ, vacina 44 pessoas contra poliomielite em vez de Covid-19

Ao menos 44 pessoas receberam a vacina contra poliomielite no lugar da vacina contra a Covid-19. O caso aconteceu nesta terça-feira (17), em uma unidade do programa Estratégia Saúde da Família, em São João da Barra, Norte do Rio de Janeiro. 

Um morador que foi vacinado com o imunizante errado conversou com a reportagem da CNN. Segundo ele, após identificar a falha a secretaria de saúde fez uma convocação e justificou o equívoco.

“Alegaram que a enfermeira confundiu os frascos das vacinas por serem parecidos, em vez de aplicar a Coronavac acabou aplicando a de poliomielite”, contou. 

Em nota à CNN, a secretaria municipal de saúde lamentou a troca das vacinas e disse que todas as 44 pessoas serão revacinadas em 15 dias. 

“As equipes responsáveis pela imunização no município entraram em contato na manhã desta quarta-feira, 18, com todas as pessoas que tomaram a dose da vacina contra a poliomielite, com idades entre 21 e 44 anos, e foi feito o reagendamento para daqui a 15 dias, tanto para quem estava agendado para a primeira dose quanto para a segunda”, diz um trecho da nota. 

O município também informou que abriu “um processo administrativo para apurar o caso. A servidora, que é funcionária de carreira da Prefeitura, foi afastada até que a apuração seja concluída”.


Especialistas ouvidos pela CNN afirmam que a troca da vacina não é prejudicial à saúde

De acordo com o médico Leonardo Weissmann, membro da Sociedade Brasileira de Infectologia, a aplicação da vacina contra poliomielite em vez da Covid não oferece qualquer tipo de risco. 

“Para corrigir o erro, deveria-se separar vacinas de COVID-19 para esse grupo e agendar para daqui a 15 dias, como se propôs para a vacina contra a gripe, que também é feita com vírus inativado”, explica.

“Vacina nunca é demais. Vacina não faz mal. O ideal é separar 15 dias de intervalo”, sugere o infectologista Nélio Artiles, da FMC. 

O Brasil não registra casos de poliomielite desde 1989. A poliomielite (paralisia infantil) é uma doença contagiosa aguda causada por vírus que pode infectar crianças e adultos e em casos graves pode acarretar paralisia nos membros inferiores. A vacinação é a única forma de prevenção. Todas as crianças menores de cinco anos devem ser vacinadas.


Leia a nota da prefeitura de São João da Barra na íntegra:

A Secretaria Municipal de Saúde informa que 44 pessoas receberam a vacina contra a poliomielite no lugar da vacina contra a Covid-19 na tarde desta terça-feira, 17, na unidade da Estratégia Saúde da Família da Nova São João da Barra, na sede do município. Uma servidora da unidade admitiu ter se confundido no momento de separar os frascos. Assim que percebeu o erro, ela suspendeu a aplicação da vacina e comunicou ao setor responsável. 

As equipes responsáveis pela imunização no município entraram em contato na manhã desta quarta-feira, 18, com todas as pessoas que tomaram a dose da vacina contra a poliomielite, com idades entre 21 e 44 anos, e foi feito o reagendamento para daqui a 15 dias, tanto para quem estava agendado para a primeira dose quanto para a segunda.

Das 83 doses da Coronavac agendadas para a aplicação na terça-feira, foram aplicadas 63 e das 40 doses agendadas da AstraZeneca foram aplicadas 36. A unidade de saúde possui câmara de armazenamento e não houve perda de vacinas.

A Secretaria lamenta o ocorrido e informa que será instaurado um processo administrativo para apurar o caso. A servidora, que é funcionária de carreira da Prefeitura, foi afastada até que a apuração seja concluída. 

O fato isolado não prejudica o andamento da vacinação no município, que segue avançando na imunização de pessoas a partir de 21 anos, com cadastramento para pessoas acima de 16 anos. No total são 37.648 vacinas aplicadas, sendo 25.485 na primeira dose e 12.163 na imunização concluída. Na população acima de 18 anos a campanha de imunização corresponde a 90,5% com a primeira dose da vacina contra a Covid-19 e 43,2% no esquema vacinal completo. Dentro da população total, que é de 36.423 habitantes de acordo com o IBGE, a cobertura vacinal em São João da Barra é, respectivamente, de 69,9% e 33,3%.

A Coordenação de Vigilância Epidemiológica afirma que a vacina contra a poliomielite não possui efeitos colaterais. Ela é aplicada em crianças e não há necessidade de aplicação em adultos, somente em casos de deslocamento para países com o surto da doença. A vacina também não tem contraindicações para lactantes. 

A Secretaria Municipal de Saúde irá solicitar ao Governo do Estado a reposição de doses da vacina contra a poliomielite.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: