MPRJ denuncia Gabriel Monteiro por desacato a ex-comandante da PM

Quando ainda exercia a função de soldado da PM, Gabriel abordou o superior com uma câmera em punho, insinuando que ele possuía envolvimento com o crime organizado

 O Ministério Público do Rio de Janeiro (MPRJ) denunciou o ex-vereador Gabriel Monteiro por perseguição e desacato ao ex-comandante da PM, coronel Íbis Souza Pereira. O caso aconteceu entre o período de outubro de 2019 e janeiro de 2020, quando ele  filmou o agente e postou em seu canal no Youtube. Nas ocasiões, quando ele ainda exercia a função de soldado da PM, Gabriel abordou seu superior com uma câmera em punho, insinuando que ele possuía envolvimento com o crime organizado.
A denúncia relata que o primeiro desacato aconteceu no dia 23 de outubro de 2019. Íbis, que é ex-comandante da PM, recebeu um telefonema em seu gabinete na Assembleia Legislativa do Estado do Rio (Alerj) e, do outro lado da linha, Gabriel se identificou como um estudante que buscava tirar dúvidas sobre um trabalho acadêmico, tendo marcado um encontro com o coronel na frente da Casa Legislativa.

Ao chegar ao local, o agente deparou-se com o soldado filmando a cena junto com outras duas pessoas, perguntando ao coronel como ele possuía a capacidade de entrar em um local onde aconteceram conflitos armados com a morte de inúmeros policiais, sem que nada acontecesse com ele, referindo-se a uma visita de Íbis ao Complexo da Maré.

Em outras duas ocasiões, ocorridas em dezembro de 2019 e janeiro de 2020, Gabriel repetiu o mesmo modus operandi, abordando Íbis no interior da Alerj e no Fórum de Jacarepaguá. Neste último local, ainda de acordo com a denúncia, ele continuou a filmagem mesmo após proibido pelo magistrado titular do juízo, e proferiu contra o seu superior na corporação frases como: “Como o senhor consegue ter superpoderes, entrar no coração do Comando Vermelho, no meio de matadores de policiais e nada acontecer?”.
Desta forma, o Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro (MPRJ) denunciou o ex-vereador, por três vezes, com base nos artigos 298 do Código Penal Militar, que prevê pena de reclusão de até quatro anos, e 147-A do Código Penal, com pena de reclusão de seis meses a dois anos.

Gabriel Monteiro está preso desde novembro do ano passado, acusado de estupro. O ex-vereador nega o crime.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *