MPRJ denuncia 13 PMs por removerem cadáveres durante operação na comunidade Fallet-Fogueteiro em 2019

O Ministério Público do Rio de Janeiro, junto à auditoria de Justiça Militar, denunciou 13 policiais militares por removerem nove cadáveres de dentro de uma residência durante operação na comunidade Fallet-Fogueteiro, no bairro do Catumbi, no dia 8 de fevereiro de 2019.

São réus no processo:

  • capitão Geilson Henrique Anastácio da Silva;
  • sargento Rafael da Silva Gomes;
  • sargento Carlos Thiago Arigoni Arruda;
  • cabo Erick Macedo da Silva;
  • cabo Adailton Saturno da Silva;
  • cabo Bruno Rodrigues de Souza;
  • cabo Wallace da Costa Borges;
  • cabo Thiago Rodrigues de Souza;
  • cabo Pedro Igor Martins Schnaider;
  • cabo Fabrício da Fonseca Lemos;
  • cabo Dannilo Damasceno dos Santos Rodrigues;
  • soldado Douglas Luís Pereira;
  • soldado Diogo de Araújo Alves.

Eles vão responder pelo crime de fraude processual por terem deixado de preservar o local onde ocorreu uma ação causando prejuízo para as investigações. Eles removeram indevidamente nove cadáveres de dentro de uma residência na comunidade.

De acordo com a denúncia, a remoção se deu para induzir a erro perito criminal. Os fatos ocorreram ao final de um violento confronto ocorrido em uma casa na Rua Eliseu Visconti.

Na condição de superior hierárquico no dia da operação, o denunciado Geilson Henrique Anastácio da Silva também responderá por omissão, já que tinha por lei o dever de vigilância sobre a ação de seus comandados. No entanto, mesmo estando presente no momento da remoção indevida dos cadáveres, nada fez para evitar.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: