Moscou sofre maior ataque desde começo da Guerra da Ucrânia

Rússia acusou a Ucrânia de lançar nesta terça-feira (30) o maior ataque contra Moscou desde o começo da guerra no Leste Europeu, há 15 meses. Em uma rara ofensiva na capital, ao menos oito drones deixaram duas pessoas feridas e provocaram danos em edifícios residenciais, segundo autoridades.

O ataque atingiu algumas das áreas mais ricas de Moscou, incluindo uma região no oeste da capital onde o presidente russo, Vladimir Putin, tem uma casa. O ministro da Defesa da Rússia, Serguei Shoigu, descreveu a ação como ataque terrorista realizado pelas forças ucranianas contra alvos civis.

O Ministério da Defesa da Rússia afirmou que oito drones lançados por Kiev foram abatidos ou desviados. Destroços que caíram sobre a cidade provocaram incêndios e danificaram prédios residenciais. Ao menos duas pessoas ficaram feridas, e edifícios inteiros foram esvaziados, segundo a prefeitura da capital russa.

O ataque em Moscou ocorreu após a Rússia intensificar os bombardeios contra Kiev, com o uso de mísseis e também de drones. A capital da Ucrânia foi atingida pelo terceiro dia consecutivo nesta terça. Segundo autoridades ucranianas, as ofensivas russas na cidade têm sido frequentes e tentam manter a população em profunda tensão psicológica antes de uma esperada contraofensiva no front da guerra.

Moscou, localizado a mais de mil quilômetros da Ucrânia, poucas vezes foi alvo de ataques desde o começo da guerra. A ofensiva desta terça, contudo, é a segunda com o uso de drones na capital russa em menos de um mês.

No último dia 3, dois drones foram lançados em direção à residência de Putin no Kremlin. Os artefatos, segundo Moscou, foram interceptados pelos sistemas de defesa antiaérea, e nenhum dos prédios sofreu danos, embora fragmentos dos equipamentos, ainda na versão russa, atingiram a área. Ninguém ficou ferido.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *