Morre OJ Simpson, ex-jogador de futebol americano absolvido da acusação de matar a ex-mulher

Morreu aos 76 anos o ex-jogador de futebol americando O.J. Simpson. Após se aposentar, ele se aventurou como ator e foi acusado de matar sua ex-mulher, Nicole Brown, e o amigo dela, Ronald Goldman, em 1994. O julgamento terminou com ele absolvido.

A informação foi confirmada pela família de OJ.

A vida pública de Simpson começou como running back no futebol americano universitário. Ele ganhou o Troféu Heisman de melhor jogador do país e, depois, construiu uma carreira na NFL, a principal liga do esporte.

Depois do fim da carreira como atleta, ele se tornou um ator que emplacou diversos sucessos de bilheteria com filmes, especialmente da trilogia “Corra que a Polícia Vem Aí”, estrelada por Leslie Nielsen. Ele também estrelou diversos comerciais televisivos.

Em 1994, sua ex-mulher, Nicole Brown Simpson, e um amigo dela, Ron Goldman, foram encontrados mortos a facadas na casa dela, em Los Angeles. OJ Simpson era o principal suspeito, e foi preso após uma tentativa de fuga cinematográfica, que chegou a interromper a programação televisiva nos EUA — no momento do primeiro jogo da Copa do Mundo de futebol, nos EUA.

 

Simpson foi julgado por duplo homicídio. Seu júri atraiu um enorme interesse público e foi acompanhado de perto pela imprensa da época.

Simpson foi absolvido dessa acusação em 1995 por um júri de Los Angeles, em um caso denunciado por muitos como um circo midiático que ficou conhecido como o “Julgamento do Século”, estrelado por advogados famosos.

Houve uma reviravolta no caso: um par de luvas encontradas na cena do crime que foram apresentadas como aquelas que o assassino usou não couberam em suas mãos.

O veredicto foi recebido com descrença por muitos americanos, e a opinião sobre a culpa do atleta foi fortemente dividida em termos raciais.

Processo civil pelo homicídio

Simpson foi absolvido criminalmente, mas um processo na Justiça cível foi aberto em 1997 e, nesse caso, ele foi condenado a pagar US$ 33,5 milhões em danos à família de Ron Goldman.

Esse foi só o início de sua derrocada como figura pública. No fim da vida, ele cumpriu uma pena de nove anos por assalto à mão armada em um caso envolvendo artigos esportivos históricos. Ele saiu da prisão em 2017, em liberdade condicional, e terminou de cumprir a pena em 2021.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *