Moradores reclamam de sumiço de linhas de ônibus no Rio durante a pandemia

Moradores de vários bairros do Rio enfrentam dificuldades com o transporte público e reclamam que algumas linhas de ônibus sumiram durante a pandemia de Covid-19.

A equipe de reportagem do Bom Dia Rio esteve em Quintino nesta segunda-feira (13) e, do outro lado da estação de trem, por volta das 7h, nenhum ônibus passou pelo local.

Segundo o garçom Marcos Paulo Freitas, morador de Quintino, pelo menos 3 linhas desapareceram nos últimos meses.Por cinturão de segurança, RJ proíbe ônibus entre região ...

“As linhas sumiram no começo da pandemia. As linhas 277, 543 e 676. Nós que moramos aqui ficamos extremamente abandonados. Não temos outra condução pública pra pegar no município. Temos que andar quase 1 km pra pegar outra condução. E também através disso, nós, moradores, também temos dificuldade porque temos idosos e crianças que precisam ir ao médico, para tratar da saúde, e encontram dificuldade com isso aqui também”, conta Marcos Paulo.

Segundo o morador, a linha intermunicipal ia de Nova Iguaçu ao Méier e passava por Quintino. A linha 277, da Viação Acari, vinha de Rocha Miranda até a Candelária e desapareceu. E a mais antiga e a primeira a sumir foi a 676, que fazia o trajeto do Méier até a Penha e com mudança do BRT passou a fazer Madureira até o Méier.

 

Em nota, a empresa Nossa Senhora da Penha – responsável pela linha 543 – informou que desde o dia 6 de junho o transporte foi regularizado e que as atividades só estiverem suspensas antes dessa data por causa da paralisação do transporte intermunicipal.

O morador, no entanto, diz que o serviço não foi normalizado:

“Muitas pessoas ficam aqui de manhã esperando o ônibus e ele não passa. Acabam tendo que acordar mais cedo, ficar menos tempo com sua família por causa disso. Não passa nenhuma linha de ônibus hoje aqui”.

Já o Consórcio Internorte – das linhas 254, 277, 385 e 773 – disse vem sofrendo com a crise financeira provocada pela pandemia, o que impossibilita a retomada plena das atividades, com reflexos diretos no serviço prestado aos passageiros na cidade do Rio.

Já a Secretaria Municipal de Transporte disse que novas fiscalizações serão feitas em relação às linhas citadas e que 971 multas foram aplicadas só neste ano por falta de conformidade. Veja a íntegra da nota abaixo:

“As linhas citadas serão alvo de nova fiscalização da SMTR. A secretaria tem realizado ações de fiscalização e orientação diárias, em pontos estratégicos para verificar os serviços prestados à população. Somente neste ano, 971 multas foram aplicadas aos consórcios atuantes no município, por iconformidades na operação das linhas.

É importante destacar que a secretaria tem empenhado esforços para que os consórcios, que já foram notificados, ampliem sua frota efetiva em circulação, de forma a se adequar e acompanhar o incremento gradativo da demanda em função das fases definidas no plano de retomada e, desde o início das ações de contenção à Covid-19, a SMTR aplicou mais de 200 multas aos consórcios responsáveis por linhas de ônibus convencionais por inconformidades nos serviços, principalmente, por inoperância ou circulação de frota abaixo do determinado.”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: