Moradores de bairros do Rio ainda sofrem com a água ruim ou estão sem abastecimento

Na última segunda-feira, dia 8, a 8ª Vara de Fazenda Pública do Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro determinou que a Cedae enviasse um relatório com o detalhamento dos métodos de análise da água para se verificar a existência da geosmina, além da adequação do pH da água distribuída, para comprovar a acidez, e outros padrões de potabilidade. Nesta sexta-feira, dia 12, o TJ-RJ informou, por meio de nota, que ainda não consta no processo a entrega dos documentos solicitados. Enquanto isso, mais de 40 bairros da cidade continuam recebendo a água com cheiro de geosmina. Em outros, nem sequer o abastecimento está regularizado.

Na Rocinha, os moradores da comunidade amanheceram sem água em suas torneiras nesta sexta-feira. No Jardim Botânico, na Rua Senador Simonsen, a arquiteta Nelci Frangipani chegou a fazer um vídeo com a sua torneira seca enquanto a conta de R$ 347,20 chegou normalmente. O problema na rua, que já era crônico há pelo menos uns 20 anos, se tornou pior desde o ano passado, diz ela. Agora, cerca de 70 moradores estão sem água no local por conta do mal funcionamento de uma bomba que fica na esquina das ruas Faro e Itaipava:

— Por aqui, toda quinta-feira falta água. No fim de mês, então, é certo. Isso já tem uns 4 anos, mas, na quinta-feira, eu fiquei muito revoltada porque essa conta chegou, então foi a gota d’água mesmo. Agora, todos os moradores da rua enviaram os protocolos e uma vizinha levou hoje até a Cedae. Eles alegam que a rua precisa de outro equipamento além da bomba.

Corretora diz que está sem água há dois anos e meio

Em Barra de Guaratiba, na Zona Oeste, há localidades, como as ruas Parlon Siqueira, Carlos Tinoco e da Bica, que estão há mais de 40 dias sem água. A corretora de imóveis Núbia Moura está com a casa e o seu estabelecimento comercial sem água há dois anos e meio. Essa, que segundo ela virou uma rotina dos moradores do bairro, piorou do desde o ano passado.

— Nós temos rua que está há 90 dias sem água, daí não tem cisterna que suporte. Eu moro numa casa na Estrada de guaratiba que não tem água e tenho uma tia que é acamada. E a conta continua chegando, vindo quase R$ 240 de água por mês — reclama a corretora.

Ao todo, há interrupção de água em 12 vias da área: Carlos Tinoco, Chico Buarque, Caminho da Escola, Rua Parlon Siqueira, Pedra do Urubu, Caminho da Bica, Rua Elias José, Praia do Canto, Estrada da Vendinha, Cleber de Souza Siqueira, Caminho dos Pescadores e Caminho das Estrelas. Por conta do problema, neste sábado, dia 13, os moradores farão um manifesto às 7h em frente ao Mercado São Sebastião.

— Nós estamos sobrevivendo na base de água mineral, pois o carro-pipa não vai em todas as ruas mesmo com a gente pedindo. Tem moradores que estão comprando mais de oito galões por dia, usando para lavar roupa e até para jogar no vaso sanitário — completou Núbia.

A Cedae informou que está realizando reparo em uma equipamento que atende o Jardim Botânico e que serviço estava previsto para ser concluído ainda nesta sexta-feira, o que normalizará o abastecimento. Quanto à comunidade da Rocinha, técnicos da Cedae identificaram a necessidade de reparo em bomba que atende parte da comunidade. O reparo já foi concluído e o abastecimento está em processo de normalização.

Sobre Barra de Guaratiba, a empresa informou que uma equipe irá ao local informado em até 24 horas e que as obras de ampliação do sistema de abastecimento na Zona Oeste estão em execução, o que vai melhorar a oferta de água do bairro. As intervenções devem ser concluídas no primeiro trimestre deste ano.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: