Ministério da Saúde autoriza incentivo federal para postos de saúde e clínicas da família da cidade do Rio

O Ministério da Saúde autorizou repasses de R$ 300 mil para 51 clínicas da família e centros municipais de saúde da cidade do Rio. A portaria, publicada em edição do Diário Oficial da União da última quinta-feira (8), concede incentivo financeiro para unidades de saúde de todo o país credenciadas como centro de referência para combate à Covid-19. Na capital, segundo a secretaria municipal de Saúde, o aporte deve servir para compra de insumos e melhoria da estrutura das unidades, boa parte delas localizadas em favelas e bairros de grande população.

Na portaria, o Ministério da Saúde afirma que o incentivo financeiro federal servirá para “para custeio destes Centros, a ser transferido em parcela única”. Cada uma das 51 unidades vai receber R$ 300 mil, totalizando R$ 15,3 milhões para o Rio. Boa parte dos estabelecimentos inscritos estão localizados em áreas de grande demanda, como a Clínica da Família Zilda Arns, no Complexo do Alemão, e o Centro Municipal de Saúde Heitor Beltrão, na Tijuca. 

“Esse repasse vai servir para a compra de insumos e outras necessidades. Vamos definir quais o que a gente vai comprar para cada uma delas”, comentou o secretário municipal de Saúde, Daniel Soranz.

Outros municípios do interior do estado também vão receber o aporte. Em Angra dos Reis, serão R$ 240 mil para quatro centros de saúde; em Belford Roxo, cinco centros receberão R$ 300 mil cada um. Outros R$ 300 mil vão para duas unidades em Duque de Caxias. Sapucaia, Silva Jardim, Trajano de Moraes e Varre-Sai receberão, cada cidade, R$ 180 mil.

O Fundo Nacional de Saúde (FNS) deve destinar R$ 452,9 milhões, em parcela única, para unidades de todo o país credenciadas como Centros Comunitários de Referência e Centros de Atendimento para o Enfrentamento da Covid-19. Ao todo, serão beneficiados 2.302 estabelecimentos em 1.960 municípios. Vão receber o aporte as cidades que, entre novembro e dezembro, tinham os centros credenciados na lista do Ministério da Saúde.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: