MEC publica portaria que autoriza abertura de novos cursos de medicina no Brasil

O Ministério da Educação (MEC) publicou uma portaria que volta a autorizar a abertura de novos cursos de medicina em instituições privadas de ensino superior. A pasta publicou as regras para que isso aconteça nesta quinta-feira (6).

A abertura de novas faculdades de medicina estava proibida no Brasil desde abril de 2018, após uma portaria publicada pelo governo de Michel Temer. Esta medida perdeu efeito na quarta-feira (5).

Agora, o MEC elaborou uma nova política de chamamento público para autorização de cursos de medicina em instituições privadas. A pasta também reabriu o protocolo de pedidos de aumento de vagas do sistema federal de educação superior.

De acordo com a portaria, os chamamentos públicos seguirão a necessidade social ou de estrutura de serviços de saúde e formação médica.

Em relação aos critérios de necessidade social, o governo disse que irá priorizar as regiões de saúde com menor relação de vagas e médicos por habitante – ou seja, onde falta profissionais –, considerando:

  • a relevância e a necessidade social da oferta de curso de medicina;
  • a existência, nas redes de atenção à saúde do Sistema Único de Saúde (SUS), de equipamentos públicos adequados, suficientes e de qualidade para a oferta do curso de medicina.

 

Já em relação aos critérios de necessidade de estrutura de serviços de saúde e formação médica, o governo levará em consideração:

  • integração ao sistema de saúde regional por meio do estabelecimento de parcerias entre a instituição proponente e unidades hospitalares (pública ou particular) que possibilitem campo de prática durante a formação médica;
  • vagas a serem preenchidas com base em objetivos de inclusão social;
  • integração ao sistema de saúde regional, em especial às unidades vinculadas ao SUS;
  • oferta de formação médica especializada em residência médica.

 

Os chamamentos públicos para ampliação das vagas e abertura de novos cursos de medicina serão publicados em até 120 dias, de acordo com a portaria.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *