Massa de ar frio trará neve para o Brasil ainda em agosto

O frio e a neve podem invadir partes do Brasil nesta semana. Isso porque, segundo a previsão da MetSul, instituto de meteorologia sediado em São Leopoldo, no Rio Grande do Sul, o Brasil está no caminho de uma massa de ar fria e poderosa. A massa deve atravessar o Brasil, chegando ao Sul do país, depois no Centro-Oeste, no Sudeste e no Norte, e afetar ainda mais sete países, como Paraguai, Bolívia, Uruguai, Peru e mesmo Equador, Colômbia e Venezuela. Essa massa de ar será tão forte que pode fazer com que o frio seja sentido até mesmo em áreas onde é verão, como no hemisfério norte. 

“O potencial histórico deste evento de frio, a se confirmar, não será pelas temperaturas mínimas, e sim pela neve, se ela vier forte e em mais locais que o habitual, como indicado por alguns modelos”, disse o comunicado da instituição.Neve aparecerá no Brasil, entenda!

Segundo o anúncio feito na última segunda-feira (17) pelo Instituto. A massa de ar fria deve começar a passar pelo Brasil ainda na próxima quarta-feira (19). 

“A queda da temperatura será sentida a partir da quarta-feira no Rio Grande do Sul e, entre quinta e sexta-feira, será percebida nas demais regiões brasileiras. A quinta, a sexta e o começo do sábado serão dias de muito frio no Sul do Brasil. Como a massa de ar será por demais gelada, é comum que chegue com vento moderado a forte que vai trazer sensação térmica com valores muito baixos, negativos em muitas localidades”, disse o anúncio. 

O comunicado ainda afirma que, mesmo que o sul esteja acostumado com muito frio, essa massa de ar fria é algo “excepcionalmente forte e abrangente”. 

O instituto ainda informou que o evento deve permanecer durante toda a segunda metade de agosto e que a neve será um dos resultados dessa massa de ar fria. A neve, inclusive, deve chegar a lugares onde ela não é vista há anos.

“Como é comum na presença de uma área de menor pressão atmosférica, ar seco avança a Oeste e ao Norte do sistema. Por isso, esfriará muito e com mínimas muito baixas com geada no Norte da Argentina, no Paraguai, em pontos do Centro-Oeste do Brasil e em parte do Sudeste, não se afastando geada em Minas Gerais fora das áreas de Serra como a região do Triângulo Mineiro e até no Sul de Goiás”, afirmou a instituição.

A neve é algo confirmado no sul do país, mas a grande dúvida é o quanto e onde pode nevar. Vale lembrar que a neve pode prejudicar plantações de alimentos que não estão acostumadas com as baixas temperaturas. Ainda não é possível que os cientistas calculem o quanto pode nevar, já que as projeções do sistema variam de acordo com o deslocamento da massa de ar, mas eles estão analisando a situação.

“Diante deste cenário, reiteramos que a probabilidade de neve é altíssima, mas que hoje não se pode fazer responsavelmente projeções precisas de quantidade e localização do fenômeno. O que pode e deve ser informado é que deve nevar e não se descarta que forte em alguns locais e, ainda, que o fenômeno possa alcançar até pontos menos acostumados a ele. Somente nos próximos dias se terá um cenário mais claro”, disse o instituto. 

A chuva congelada ainda pode atingir locais que tenha a altitude no nível do mar, isso porque “a atmosfera estará extremamente resfriada na segunda metade da semana e este tipo de precipitação pode ocorrer com a temperatura em superfície acima de 5ºC positivos”, afirmou o instituto. 

Apesar de não conseguirem dizer especificamente quais serão todos os lugares nos quais a neve poderá atingir, os cientistas já calcularam alguns poucos locais mais certos para esse fenômeno ocorrer. O Planalto Sul Catarinense e os Aparados da Serra do Rio Grande do Sul, por exemplo, serão os locais em que a neve com certeza aparecerá de forma intensa. Já no Norte gaúcho, como o Planalto Médio, e em pontos do Oeste e Meio-Oeste Catarinense e do Planalto de Palmas, no Paraná, a neve aparecerá mais fraca, mas ainda assim marcará presença. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

TV Prefeito