Marquinhos prevê “luta de boxe” entre Brasil e Argentina e celebra: “Esse é o jogo que a gente gosta”

O zagueiro Marquinhos espera que a final da Copa América entre Brasil x Argentina, sábado, às 21h, no Maracanã, seja como uma luta de boxe. Não, o defensor não projeta um duelo violento, mas sim uma partida com golpes e contra-golpes dos dois lados, sem que uma das seleções tenha o controle o tempo inteiro.

Em entrevista coletiva nesta quarta-feira, o zagueiro analisou o clássico, fez elogios à Argentina e celebrou a participação em uma partida deste tamanho.

– Esse é jogo que a gente gosta, grande, se tratando de final, principalmente contra a Argentina, é o que jogo que a gente fica ansioso, com vontade de jogar. A gente sabe da qualidade deles, a gente se prepara muito, procura analisar os pontos fortes e fracos que eles têm. Mas durante uma final existem mutias coisas que passam pelo aspecto mental, o aspecto estratégico, muito mais do que o aspecto individual – disse o zagueiro, que ainda prosseguiu:

– A gente tem que saber lidar com todas as fases do jogo, vamos ter momentos bons e ruins. Em 90 minutos, é difícil uma equipe dominar totalmente, ter a bola o tempo todo. É uma luta de boxe, a gente atacando, o adversário, também. Quem errar menos possível, será definido nos mínimos detalhes. Temos que estar prontos em todas essas situações. Não só a defesa que defende, é todo um trabalho coletivo, começando lá na frente, que nos ajuda bastante lá atrás.

Zagueiro Marquinhos, da seleção brasileira, concedeu entrevista coletiva nesta quarta-feira — Foto: Reprodução

Um dos capitães da seleção brasileira, ao lado de Casemiro e Thiago Silva, Marquinhos recordou a semifinal da última Copa América, em 2019, quando o Brasil venceu a Argentina por 2 a 0.

Na ocasião, os argentinos reclamaram bastante da arbitragem, e o craque Lionel Messi chegou a dizer que o torneio estava “armada” para o Brasil.

– A ferida foi mais nele do que na gente. A gente conseguiu o objetivo, não tenho contato com ele, não se se ele procurou alguém depois para falar. Mas isso tem ficado constante. Sempre que o Brasil ganha tem alguém reclamando. A gente sabe o quanto eles querem ganhar do Brasil, que outras seleções almejam eliminar o Brasil. É sempre focar no que a gente tem que fazer, o que passou passou, conseguimos nossos objetivos. A ferida é mais do lado dele do que do nosso. Agora é outra página, outro contexto. Deixa tudo isso de lado, se quiser pegar motivo para se motivar, isso é valido, isso levo comigo. Se for algo para levar do lado maldoso, ruim, que não vai te levar para frente, a gente deixa de lado – disse o zagueiro.

Marquinhos também falou da suspensão de dois jogos ao atacante Gabriel Jesus pela expulsão nas quartas de final contra o Chile. Devido ao gancho, ele não poderá disputar a decisão da Copa América. Para Marquinhos, houve exagero por parte da Comissão Disciplinar da Conmebol na punição.

– Pra gente foi difícil, é um jogador importante no nosso coletiva, que faz a diferença. A punição foi severa demais, vendo as imagens, o arrependimento depois do lance, poderiam ter levado em conta, teve contato, a falta, a expulsão ninguém contestou, mas um jogo a mais, numa final tão importante para nós, creio que foi um pouco severa. É um jogador muito importante para a gente.

Veja abaixo outros trechos da entrevista coletiva de Marquinhos:

Messi

– É uma fera, um grande jogador, que pode desequilibrar o jogo, tem que ter um cuidado muito grande, não só com ele, mas com todos os jogadores. A gente tem um respeito grande por ele, mas neste momento a gente coloca o respeito e a admiração de lado. A gente vai defender o nosso, ele vai defender o dele. Em campo vai ser uma guerra e o mais forte vai vencer. É competitividade, por mais que a gente goste do jogador, do talento que ele tem, a gente vai brigar pelo nosso.

O que é um Brasil x Argentina?

– Brasil e Argentina vai muito além de um simples jogo de futebol. Eu falo por mim, pela minha história, desde criança é um jogo que sonhei jogar. Com cinco anos, quando comecei a jogar, entender o futebol, era o jogo que eu sonhava ver, de estar em campo. Isso representa muito o que significa Brasil x Argentina, por toda a história que tem, pelos jogadores que passaram, alguns que foram os melhores do mundo. Pelé, Zico, Ronaldo, Ronaldinho, grandes jogadores com essa camiseta, do outro lado também, Maradona, Messi. São camisas que representam o futebol mundial, ganharam grandes coisas, fizeram o mundo parar para ver jogos.

Messi atrás de título pela seleção

– Todos que estão em campo merecem esse título da Copa América, todos lutaram, trabalharam, no dia da final vão dar 45 dias focados, trancados, na bolha, sem poder ver família. Todos que vão estar em campo são merecedores desse grande título, quem for melhor vai levar, e eu espero que seja o Brasil. Como o Messi, temos jogadores que merecem muito esse título. O Neymar está com vontade de ganhar esse título com a Seleção. Tem torcedores do Messi, da Argentina, do Brasil, do Neymar, do Marquinhos. Todos são merecedores, é normal as pessoas quererem que o Messi ganhe, pela história que tem, pelo que conquistou, mas a gente está do outro lado e vai tentar atrapalhar.

Euro x Copa América

– Eurocopa é um grande campeonato, a gente vê a qualidade dos jogos, das seleções. Mas, independentemente disso, penso que a Copa América teve bons jogos apesar das circunstâncias, de gramados e outras coisas, foram grandes jogos, com emoção até o final. A gente vê a dificuldade que a gente tem de jogar contra as outra seleção. A história que tem Brasil x Argentina… Convido a todos para ver esse grande jogo, vai ser com muitas emoções, com grande jogadores em campo, não só falando de Messi e Neymar, creio que quem assistir não vai se arrepender.

Lembranças de Brasil x Argentina

– Pela TV, com certeza foi aquele jogo que o Adriano detonou com o jogo (final da Copa América de 2004). Foi tão importante, eu era criança, moleque, sonhava estar na Seleção, e ver nossos ídolos fazerem aquilo foi maravilhoso. Já comigo em campo, joguei algumas vezes contra a Argentina desde a base, coleciono alguns bons momentos e momentos difíceis. Posso citar o Brasil x Argentina da última Copa América, um momento importante. A argentina jogou bem, mas a gente soube o que fazer para passar e chegar na final. Foi especial pra mim, aqui no Brasil, com público e minha família estava no estádio.

Força defensiva

– A gente fica feliz quando nosso sistema defensivo vai bem. Quando a gente fala da defesa, não é só zagueiro, goleiro, laterais, o sistema vai muito além. É nossa ideia, nossa filosofia quando a gente tem que defender. A gente sabe que temos um sistema ofensivo que é muito bom, forte, com grandes jogadores, com qualidade extrema, que a gente sabe que vai criar oportunidades, que é muito variado, de bola parada, trabalhada, jogadas individuais. Até mesmo quem entra durante a partida consegue dar um gás a mais, resolver uma partida. O jogo tem todas as suas fases e quando se passa pela fase defensiva é onde tem que ficar muito concentrado para que a gente possa fazer o trabalho da melhor forma possível.

Thiago Silva

– O entrosamento que tenho com o Thiago vem de anos jogando juntos. No decorrer dos anos que a gente teve no PSG, a gente jogou muito, tivemos bons jogos, jogos difíceis. A gente se conhece, sabe o que tem que fazer para ajudar o outro. O Thiago é meu ídolo do futebol mais próximo. Na base do Corinthians eu via jogos do Thiago no Fluminense e no Milan. Ele é um jogador que exerce o que tem que fazer com excelência. Aprendi muito com ele, cresci muito. Fico feliz de estar com ele até hoje, é bom jogar com alguém assim que pode te fazer crescer, melhorar a cada treinamento.

Como parar Messi e a Argentina

– A seleção argentina vem bem, eles estão focados, concentrados. Mas pensando no nosso lado, estamos na mesma pegada, com foco e concentração. Temos nossos grandes jogadores, a nossa força, a gente sabe onde a gente é forte. A gente vai analisar o adversário para explorar as fraquezas deles. O Messi é ponto forte da Argentina, nosso foco é atrapalhar o grande jogador que eles têm. O professor sabe fazer isso bem, lembro desde a minha época de Corinthians, quando jogávamos contra o Santos de Neymar. É difícil parar o Messi sozinho, precisa de todo o sistema defensivo. Vamos colocar nossa estratégia em campo para anular as ações dele e de toda a seleção argentina.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: